ESQUI EM LAKE TAHOE: SIERRA E SQUAW VALLEY

A Califórnia não é só famosa pela sua bela costa, pelas ladeiras icônicas de São Francisco ou pela Calçada da Fama, em Hollywood. No norte do Estado, a região de Lake Tahoe guarda não apenas paisagens magnificas em suas montanhas, mas principalmente condições perfeitas para os amantes de esportes de inverno. Ou para aqueles interessados em aprender a deslizar na neve.

Para chegar são 4h de carro desde São Francisco ou 1h30 de voo de Los Angeles até Reno (no Estado vizinho de Nevada) e mais 1h30 de carro ou ônibus até South ou North Lake Tahoe, já na Califórnia. É mais perto do que parece, os mais ousados podem surfar de manhã em Los Angeles e praticamente pegar os últimos instantes das pistas abertas em Tahoe.

Como já falamos nesse post aqui, Heavenly talvez seja a principal estação de esqui de Lake Tahoe. Mas não é nem de longe a única e nem a melhor dentre as incríveis estruturas de montanha da Cordilheira de Sierra Nevada. Hoje vamos falar de Sierra e Squaw Valley.

Mas uma informação segue a mesma do outro post, quem não tem equipamento (como eu) pode alugar tudo no centrinho de Heavenly (South Lake Tahoe) em várias lojas perto da Gôndola – fui muito bem atendido na Heavenly Sports e uma prancha de snowboard ou par de esquis saem por US$ 54,90. Não é barato, mas vale a pena. Ao menos os passes nessas duas estações são menos caros do que em Heavenly (US$ 135 por dia).

Pode até parecer demagogia, mas não existe estação melhor ou pior nessa região. O que se pode falar é de estações mais adequadas a um perfil ou outro de esquiador. Na real, o que eu recomendo sinceramente é visitar as três. Caso não seja possível, por falta de tempo ou de grana, vou dissecar Sierra e Squaw Valley abaixo para você poder tomar sua própria decisão. Então bora descer essas montanhas!

 

Sierra-at-Tahoe

O perfil mais discreto dessa estação condiz também com a breve distância (45 minutos) de carro desde o centrinho de Heavenly, em South Lake Tahoe. Importante saber que aqui não há opções de hospedagem e todos são visitantes de um dia, grande parte vindos de Sacramento, a 1h45 dali.

É bom chegar cedo porque o estacionamento enche. Quando fui tinha tanta neve que o estacionamento parecia uma grande arena com arquibancadas brancas. É um lugar super tradicional, que virou estação de esqui em 1953.

O passe de um dia para os teleféricos custa US$ 97 ou US$ 279 para dois dias (para adultos) ou mais, o chamado “season pass”. Olha, sinceramente você tem que estar apaixonado pelo lugar para topar esse season pass, porque o lugar nem é tão grande assim e em um dia bem aproveitado dá para conhecer uma boa parte das 46 pistas. Acho que dois dias é um tempo ótimo.

Confesso que adorei esse lugar, pois foi quando me senti mais à vontade com o snowboard nos pés. Não sou super bom, então me dediquei às pistas mais básicas – aqui são as de cor verde. Eu achei as azuis meio punk aqui. Não tem cor vermelha em Sierra, a gradação vai do verde para o azul, para o preto.

Fiquei feliz porque a pista mais longa, a Sugar’N Spice, com mais de 5 km, era super tranquila e descia por entre um bosque maravilhoso. A Upper Snowshoe também foi uma pista na qual me encaixei super bem. O mais legal é que o Grandview Express, o principal teleférico, leva a pistas pretas e verdes, então você não deixa de encontrar, vez por outra, seu amigo mais experiente. Gostei também da Wagon Trail, com curvas mais acentuadas e longos trechos desertos.

A Huckleberry Mountain, com 2.698 metros de altitude, é rainha do horizonte. Recomendo almoçar no 360 BBQ, um restaurante no alto, ao lado do teleférico Grandview, que oferece uma baita variedade de churrasco e tacos. Claro que bater um pratão e descer a montanha dá um pouco de preguiça, por isso recomendo comer leve, uma salada ou sanduíche. Custa entre US4 14 e US$ 25 para almoçar, com bebida. Um baita de um lugar para, ao menos, passar um dia.

Squaw Valley & Alpine Meadows

As grandes damas do North Lake Tahoe, Squaw Valley & Alpine Meadows, são duas estações lendárias dos esportes de neve na América do Norte. Squaw sediou os Jogos Olímpicos de 1960 e ainda guarda os cinco enormes arcos coloridos estampando uma das suas montanhas. Foi eleito o melhor resort de esqui em 2016 e, olha, tem muitas razões para isso. A vizinha e coirmã Alpine Meadows pertence ao mesmo grupo e ajuda a tornar este um dos maiores complexos de neve do mundo.

Quando eu achava que nada mais poderia me impressionar, depois de já ter descoberto Heavenly e Sierra, fui surpreendido novamente. Que baita lugar lindo, que estrutura impressionante e vasta. Por motivos de falta de tempo, só deu para visitar Squaw Valley, que tem 170 pistas, um verdadeiro delírio para amantes e aprendizes. Sim, aqui encontrei as melhores pistas para principiantes (25% do total) e para intermediários (45%), como me classifico. Um baita de um menu de pistas.

Só para não ficar devendo informação, vale registrar que Alpine Meadows tem pouco mais de 100 pistas, sendo 25% delas para iniciantes, 40% para intermediários e 35% para avançados. Eu mal dei conta das pistas de Squaw Valley, acho que dá para passar uns 10 dias esquiando sem repetir nenhuma pista. Ah, e aqui em Squaw e Alpine, diferentemente de Sierra, tem uma daquelas maravilhosas vistas do Lago!

Os passes de um dia custam US$ 124 e o season pass sai por US$ 430 e vale a pena para quem for ficar mais de três dias. Os tíquetes estão à venda no site squawalpine.com e eu também recomendo dar uma olhada no IMPRESSIONANTE mapa das estações.

Ao contrário do que o nome possa sugerir, a Big Blue é uma pista verde com pequeno trechos azuis. Sinceramente, é uma das mais legais que conheci e evolui bastante aqui. Uma coisa bacana foram as aulas em grupo – um dia todo custa a partir de US$ 179. Pelo menos um dia já faz uma baita diferença em sua evolução. E pode ser um bom jeito de desenferrujar se você não esquia há tempos.

Nos arredores do teleférico Big Blue Express tinha uma serie de pistas para iniciantes em obstáculos e ali aprendi a salta minhas primeiras rampas. É uma coisa meio de doido, mas super recomendo arriscar, caso se sinta confiante.

A Ramp’n Run é uma pistinha verde toda delicada e é normal encontrar crianças. Minha ousadia começou na pista Emigrante, uma azul light, bem larga, boa para fazer curvas amplas e descer com segurança. Quando eu já estava me achando, digo, me sentindo mais à vontade, o Spencer, meu professor, propôs um desafio: encarar a maior pista da estação.

Assim como em Sierra, a maior não quer dizer a mais perigosa. Com 5,7 quilômetros (ou 3,6 milhas, como eles adoram medir…) a Mountain Run é uma pista azul que poderia ser considerada verde em 75% de seu trajeto. É uma delicia serpentear por entre velhos pinheiros e algumas árvores jovens. E descer e descer e descer, até o Funitel, o principal dos teleféricos da estação.

Se você me perguntar qual foi minha estação favorita entre Heavenly, Sierra e Squaw Valley eu terei dificuldades em responder. Mas certamente as últimas descidas marcam bastante. Principalmente quando você percebe nitidamente que melhorou muito. Já tô com saudades de Lake Tahoe!

 

 

Deixe o seu comentário usando o Facebook
Ou comente por aqui