Esqui em Lake Tahoe: Heavenly

Lulu Santos cantava que iria pra Califórnia viver a vida sobre as ondas, ser artista de cinema e tudo mais… Cada um sabe de si, mas se eu fosse à Califórnia, seria para viver a vida sobre as montanhas. Sim, o litoral do mais rico Estado americano é super famoso e bonito, mas cá entre nós, apesar do seu charme e espirito romântico, não chega aos pés do nosso. Só que as montanhas da Califórnia guardam paisagens das mais belas e também uma porção das melhores estações de esqui de todo o país.

Não vou economizar nas palavras: você vai se deslumbrar com Lake Tahoe! A 4h de carro desde São Francisco ou 1h30 de voo de Los Angeles até Reno (no Estado vizinho de Nevada) e mais 1h30 de carro ou ônibus até South ou North Lake Tahoe, já na Califórnia.

Foto: Max Whitaker/Visit California

O imenso lago se espalha por uma área de 500 km² a uma altitude de 1.897 metros acima do nível do mar. Se fosse só pela beleza do lago já estaria de ótimo tamanho. Mas além disso, a região conta com pistas incríveis para praticantes de esqui e snowboard de todos os níveis. Não, ninguém vai esquiar no lago, mas nas incríveis montanhas da Cordilheira de Sierra Nevada.

Esse ano nevou demais e posso dizer que nunca vi tanta neve na vida – paredões de 3 metros de neve na feira das estradas e um metro de neve nos tetos. É uma região que atrai visitantes tanto no inverno quanto no verão, com muitas atividades no lago, como caiaque e stand-up, quanto caminhadas na montanha e descidas de mountain bike. Mas o que surpreende a nós brasileiros é a estação gelada mesmo. E a infraestutura para esportes de inverno é impressionante.

Mapa mostrando as estações de esqui Heavenly, Squaw Valley e Sierra

Principais estações de esqui em Lake Tahoe, na Califórnia

Visitei as três principais estações de estações de esqui por lá em meados de março: Sierra, Squaw Valley e Heavenly. Queria muito compartilhar com vocês minhas experiências e impressões detalhadas sobre cada uma delas com informações e dicas para quem pretende descobrir essa fatia preciosa da Califórnia. Mas ficou muito grande (ninguém merece textos sem fim, né?!) então vou dividir e nesse post introdutório da região, eu vou começar com Heavenly e num próximo post abordo as outras duas, beleza? Vamos lá então!

Esqui em Lake Tahoe: Heavenly

O mais badalado dos centros de esqui da região começa no alto de uma montanha, por onde se chega pela Gôndola, um bondinho fechado que sobe 878 metros verticais desde o centrinho de Heavenly Village, em South Lake Tahoe.

Preços e aluguel de equipamentos

O passe de um dia não é nada barato, podendo chegar a US$ 135 para quem comprar na hora – a dica é comprar antes ou reservar no site oficial de Heavenly passes de três dias ou mais por preços que ficam na faixa de US$ 70 por dia. Para crianças os preços começam em US$ 67 por dia e diminuem para períodos maiores.

Quem não tem equipamento (como eu) pode alugar tudo no centrinho em várias lojas perto da Gôndola – fui muito bem atendido na Heavenly Sports e uma prancha de snowboard ou par de esquis saem por US$ 54,90. Definitivamente não se trata de uma brincadeira barata. Mas acredite, vale MUITO a pena.

Um giro pela estação de Heavenly

Uma vez equipado, você valida o passe na entrada da Gôndola e sobe a montanha até Tamarac Lodge, o centrinho avançado da estação de esqui. Ali é possível contratar aulas de esqui e snowboard (desde US$ 114 o dia todo, em grupos) para todos os níveis de atletas ocasionais. Antes, você pode descer da Gôndola e fazer uma parada no Observation Deck, a 2.781 metros e tirar uma foto memorável com o Lago Tahoe de fundo. Na real é uma parada obrigatória…

O visual enquanto se esquia. Foto: Max Whitaker/Visit California

Com o mapinha da estação em mãos, escolha pela cor as pistas mais adequadas ao seu nível – verde para as fáceis/iniciantes, azul para intermediários/iniciados e preta para os experientes e destemidos. Em outras estações as pistas verdes podem ser um pouco mais complicadas do que em Heavenly ou a dificuldade das verdes pode ser equivalente à das azuis.

Heavenly conta com 30 teleféricos e 97 pistas, o que é uma enormidade. Atém disso, tem a pista mais longa da Costa Oeste, com quase 9 quilômetros de comprimento. Como se não bastasse, a estação tem um desnível total de 1.200 metros verticais esquiveis – prato cheio para os mais experientes. E para todos os fissurados e entusiastas de esportes de neve: uma média de quase 9 metros de queda de neve anual – leia-se: uma barbaridade.

Vista básica da gôndola de Heavenly em Lake Tahoe. Foto: Max Whitaker/Visit California

A maior parte dos lifts, os teleféricos que sobem para as pistas, deixa claro a dificuldade das pistas para onde leva. Geralmente há duas opções na saída do lift, uma mais fácil do que a outra. Vale sempre estudar que caminho você quer fazer e se precisa pegar alguma bifurcação durante a descida. Heavenly é a mais bem sinalizada das estações, inclusive com alertas de perigo e avisos para reduzir a velocidade.

Minha experiência nas pistas de esqui de Heavenly

Meu nível de snowboard não é incrível, mas sempre consegui chegar inteiro lá embaixo. Por isso optei por começar na pista verde Easy Street. Depois na azul California Trail, onde desci por duas vezes pra ir retomando o ritmo e me acostumando à nova prancha alugada, uma Burton não-sei-qual-modelo-mas-era-boa. A California Trail virou a minha pista padrão e favorita.

“Felipe Mortara arrebentando no snowboard”. Vejam essa postura que maravilhosa e essa tranquilidade no olhar, digno de um esquiador profissional.

Só que o dia vai passando e o sol vai esquentando a neve, que fica mais mole e em alguns pontos até fofa demais. Na pista Orion eu confesso que me estressei com os tombos que tomava porque quase não conseguia levantar. Uma dureza mesmo. Essa é a desvantagem do snowboard, quando você cai, faz um esforço abdominal enorme pra levantar. Cansa.

*Dica: durante o esqui tente se hidratar pelo menos de hora em hora, pois parece que não mas você perde muito líquido e na montanha é uma suadeira danada.

Parada para descansar e comer no Tamrack Lodge. A comida não é algo barato na montanha, mas há opções para economizar, como comprar pão e frios e levar sanduíches numa mochilinha. Caso coma no Tamrack, espere gastar na faixa de US$ 20 para almoçar uma salada, pizza, sanduíche ou chili com carne (uma preferência dos californianos, eu não sabia) com uma bebida. Compensa muito se dar essa pausa e repor as energias dignamente.

À medida em que se ganha alguma confiança vá explorando novas pistas. Pra mim isso rolou na 49er (Forty Niner) e na Comet, onde me senti já beeeeem mais à vontade. O teleférico da Comet express tem uma das vistas mais legais. Com mais confiança, fiquei à vontade para pegar o lift Dipper Express e deslizar pela Big Dipper e por fim terminar pela Jack’s e a Nova. E isso porque só fiquei em três teleféricos, dos mais de 30 de Heavenly!

*Dica: use sempre capacete e prenda a máscara no ganchinho de trás do capacete para não perder, como eu fiz no primeiro tombo – depois do acidente com o piloto Michael Schumacher dizem que o mundo das neves ficou mais atento para a segurança.

Descontração na frente da fogueira no Basecamp Hotel. Eu estava com essa turma, e quem tirou a foto foi o Max Whitaker.

As pistas abrem às 9h e fecham às 16h. Daí é só correr para o Tamrack Lodge ou para Heavenly Village e encontrar o melhor lugar para curtir o après ski, o famoso happy hour das estações de inverno.

Boas descidas!

Deixe o seu comentário usando o Facebook
  1. […] já falamos nesse post aqui, Heavenly talvez seja a principal estação de esqui de Lake Tahoe. Mas não é nem de longe a […]

Ou comente por aqui