O que fazer em Amsterdam? 10 passeios imperdíveis


Atualizado em:


Está com passagem comprada para a capital da Holanda? Quer saber o que fazer em Amsterdam? Ou sonha em ir para lá e está planejando sua viagem? Então não deixe de conferir essa lista que nós montamos com o que acreditamos serem as 10 melhores dicas de passeios imperdíveis em Amsterdam.

Você também poderá gostar: Onde ficar em Amsterdam? Dicas de bairros e hotéis para a sua viagem

1- Caminhar a pé pelos canais

É o mais gostoso de Amsterdam e ainda por cima é totalmente de graça. A maior atração da cidade são seus diversos canais e o fato da gente ficar perdido entre tantos quando vai pela primeira vez! Cada rua é uma atração por si só, e os canais deixam a cidade sempre romântica e fotogênica, independente da estação do ano. Em cada esquina há uma “oportunidade de foto”.

Canais de Amsterdam. Só andar pela cidade já é um dos passeios imperdíveis em Amsterdam.

2- Visitar o Museu Van Gogh

Um museu super aclamado em Amsterdam, sobre um dos mais famosos pintores pós impressionistas do país! Mas nem só de Vincent van Gogh vive o museu. Ali também há exposições temporárias e obras de outros artistas que eram amigos ou influenciaram o estilo artístico do pintor.

Se quiser já garantir seu ingresso, tem um passeio super legal que te leva para o museu de barco e tem entrada com hora marcada. Além de admirar as obras de Van Gogh, você ainda vai poder aproveitar os canais da cidade, que são lindos.

Quer se aventurar e explorar a cidade? 7 segredos de Amsterdam revelados por um local 

3- Entrar na Casa de Anne Frank (esconderijo) 

Uma atração imperdível para quem tem curiosidade de saber mais sobre a tensão e a dificuldade de viver fugindo e viver escondido em períodos de guerra, no caso a II Guerra Mundial. O esconderijo onde a jovem Anne passou dois anos de sua vida ficava atrás do escritório do pai dela, na região de Joordan (um bairro super gostoso em Amsterdam). O anexo, como era chamado, sempre foi uma atração popular na cidade, mas ficou ainda mais conhecido depois do filme “A culpa é das estrelas” onde a protagonista, já doente, visita o local e tem o desafio de aguentar subir as escadas e ficar no apertado cômodo.

Fila na frente da Casa de Anne Frank. O melhor é garantir seu ingresso pela internet.

Apesar de não oferecer o ingresso para a casa, a GetYourGuide faz um tour com um guia profissional que vai te contar a história de Anne Frank e da resistência holandesa. O passeio percorre o bairro Judaico e o centro histórico de Amsterdã  Se quiser reservar, acesse esse link.

4- Ver a bagunça do Red Light District a noite

O Red Light District é conhecido pelas suas vitrines que exibem mulheres semi-nuas, chamando e provocando possíveis clientes. Mas, além disso, eu diria que é uma experiência sociológica visitar essa região. A noite ela é uma bagunça só, com muitaaa gente e uma mistura única de bêbados passando mal ao lado de crianças tomando sorvete com os pais, por exemplo. Uma coisa de louco. Mas fique tranquilo, o lugar não é perigoso. A não ser pelos pickpockets (ladrões que ficam esperando você dar sopa para te furtar), mas isso tem em qualquer lugar turístico com muitas pessoas, tem que ficar esperto sempre.

5- Andar de bike pelo Vondelpark

O Vondelpark é o parque mais famoso de Amsterdam. Ele é bonito sim, mas não tem tantas atrações de tirar o fôlego como o Central Park, em Nova York ou o Jardim de Luxemburgo, em Paris. Por isso, um jeito interessante de conhecê-lo é de bike, o transporte que é a cara da cidade. Assim você percorre toda sua extensão, pára aonde achar mais interessante para relaxar, e segue viagem.

Andar de bicicleta no Vondelpark é um dos passeios imperdíveis em Amsterdam, na nossa opinião.

Reserve a sua bicicleta em uma excursão de 3 horas com um guia profissional por este link. O passeio passa não só pelo Vondelpark, mas também pelas principais ruas da cidade!

        *Bônus: Já que está por aqui, aproveite para visitar o próximo item dessa lista. E antes, passe para ver as vitrines (ou fazer compras) pela Pieter Cornelisz Hooftstraat, a rua com as lojas mais caras e de marcas de luxo, como Chanel e Louis Vuitton.

6- Ir a praça dos museus e ao Rijksmuseum

A praça dos museus é um gramado gigante, que tem vários dos museus da cidade em seu redor. É um espaço super gostoso para ficar em dias mais quentes. Por lá estão o Museu do Van Gogh, o Moco Museum (de arte moderna), o Stedelijk Museum e o icônico Rijksmuseum.

Sinal de Iamsterdam e Rijksmuseum ao fundo. Dia claro e bonito de verão na Holanda.

O Rijksmuseum é o maior e um dos mais conhecidos museus da cidade, reunindo diversas obras de artistas holandeses e de outras nacionalidades. Além disso, é um edifício com uma arquitetura linda, jardins planejados e fica na frente (ou seria atrás?) do famoso letreiro “I AMsterdam”.

Se quiser mesmo passar por lá, eu recomendo já fazer a reserva do ingresso sem fila por aqui.

        *Bônus: patinação no gelo na frente do letreiro durante o inverno.

7- Passeio de barco pelos canais 

Um clichê maravilhoso. Andar de barco pelos canais é ver Amsterdam de um ângulo diferente. E todos fazem isso, de turistas a moradores locais. A diferença é que, enquanto os turistas brigam por um espaço em grandes barcos, o pessoal que mora lá faz churrasquinho ou toma vinho em seus próprios barquinhos nos finais de semana, principalmente no verão. Por isso vale a pena procurar por um barco menor ou um até mesmo um particular. Quem sabe também não arriscar fazer caiaque?

Grupo de amigos andam de barco em um dos canais de Amsterdam

8- Visitar Zaanse Schans

Zaanse Schans é um vilarejo nos arredores de Amsterdam, mas que é tão perto da cidade (principalmente para nós brasileiros que somos acostumados com longas distâncias) que coloquei nessa lista. Ele é a materialização de estereótipo de cidadezinha holandesa, com moinhos de vento, pessoas com roupas típicas, casinhas de madeira, stroopwafels e panquecas holandesas.

Zaanse Schans, vilarejo fofo e bem típico holandês pertinho de Amsterdam

É uma atração que pode ser feita rapidamente. Em uma manhã você conseguirá ir e voltar, e ter tempo suficiente para explorar por lá (em aproximadamente duas horas eu andei por tudo e ainda parei para tomar café e comer panquecas). Mas, tenha em mente que essa é uma atração bem turística, e tente chegar mais cedo, antes dos diversos ônibus lotados de gente.

Essa excursão de uma hora e quinze minutos conta com um guia profissional que vai te acompanhar a pé e contar mais sobre a história do local.

9- Atravessar o rio e ir ao bairro cool de Amsterdam

Saindo da estação central, pegue o ferry em direção a NDSM. Lá está o antigo bairro industrial, e novo bairro descolado da cidade, onde acontecem muitos dos festivais de verão. Confira por lá o mural gigante de Anne Frank feito pelo brasileiro Kobra e o Pllek, um bar feito em containers com uma prainha na beira do rio, fogueira, comidas e drinks ótimos.

Pllek em Amsterdam

10- Comer no Foodhallen

Mercado gastronômico super gostoso em uma região diferente da óbvia e da rota mais turística. Escolha uma das várias opções de barraquinhas de comidas e bebidas, veja banca de expositores locais ou simplesmente admire a arquitetura do local, que era uma antiga garagem de tram.

Foodhallen, o mercado gastronômico de Amsterdam

Depois de conhecer os diferentes e incríveis passeios por essa cidade maravilhosa, descubra onde ficar em Amsterdam! A seguir deixamos uma dica bônus para um experiência cervejeira:

*Bônus: Heineken Experience

Pra mim esse não seria um passeio imperdível em Amsterdam, porém isso não significa que ele não possa ser divertido e não deva aparecer de alguma forma nessa lista! Reconheço que muita gente vai até Amsterdam esperando visitar a fábrica da Heineken para ver a produção e curtir atrações diferentes e até mesmo o bar no final do tour. Esse é um passeio bem famoso, e relativamente rápido. Eu fui em um horário depois do almoço e as 15h já estava fazendo bebendo minhas 2 cervejas que estão incluídas no ticket de entrada e ainda ganhei mais uma porque tirei um chopp com perfeição e ganhei uma mini competição (foi pura sorte, eu nem sabia muito bem o que estava fazendo…rs). Por sinal, comprei meus ingressos para a Heineken Experience aqui.

O que fazer Amsterdam

Olha que linda a fábrica da Heineken.

E você, já foi para lá? Qual é a sua lista de passeios imperdíveis em Amsterdam? Deixe seu comentário e também deixe por aqui mais sugestões do que fazer em Amsterdam! Quem sabe assim você também não ajuda futuros viajantes com as suas dicas e segredos. =)

Vai viajar?
É preciso planejar!

Planeje sua viagem utilizando os serviços dos parceiros abaixo. Você não paga nada a mais
por isso, e ajuda o SV a continuar produzindo conteúdo de qualidade e gratuito. =)

Deixe seu comentário

  • Você foi direto ao ponto e falou tudo. Quem for a Amsterdã e seguir suas dicas, fará uma grande viagem. Vale a pena cada cantinho desses lugares que você indicou, principalmente o Red Light, pois adoro essa muvuca de pessoas de todos os cantos, bares, gente na rua e tudo mais

  • Muito obrigada Mariana e Marcela.Só consegui fazer esta visita graças a essa dica. A princípio tentei agendar com um mês de antecedência e não consegui, como estou sempre vendo suas dicas,achei essa e fui acompanhando ate anteceder 2 semanas e deu certinho !!!! VALEU!!!!!!!! obrigada mais uma vez!!!!!

    • Obrigada pelo feedback, Ana! Ficamos super felizes em saber que nossas dicas foram uteis e voce conseguiu a visita!

  • Olá, Gostaria de deixar uma dica para os futuros visitantes. Inclui Amsterdam no meu roteiro de viagem, na ultima hora e quando fui comprar os ingressos para Anne Frank não tinha mais disponibilidade. Já estive no museu porém dessa vez, estarei com minha filha. Não poderia deixar de visitar o museu com ela porém já estava desanimada só de pensar em ficar naquela fila imensa. No site, na versão em português, não havia disponibilidade de ingressos, tudo esgotado. Porém , no site em inglês, aparece a opção para o curso da sobre Anne Frank + visita ao museu . Li que a opção do curso e ticket para o museu é liberado com 2 semanas de antecedência. Ou seja, na versão do site em português não tinha mais o ingresso simples por 9 euros porém , em inglês, paguei 14 euros pelo curso e ingresso para o museu, agendei horário e fiquei feliz da vida. Paguei 5 euros a mais pela tranquilidade de não ficar naquela fila quilométrica. Agora, no site em inglês, haviam mais de 50 ingressos liberados. Então a dica para os brasileiros é que não comprem pelo site em português, mudem para a versão em inglês e comprem com a opção do curso . Lembrando sempre que os ingressos são disponibilizados com 2 semanas de antecedência.

    • Mariana,
      QUE DICA MARAVILHOSA!
      Obrigada por deixar esse comentário aqui e contar sua experiência.
      Para quem se interessou, esse é o link do ticket com o “introdutory program” que a Mariana falou. São 30 minutos para contarem como era a vida dela e dar um contexto histórico, e depois a visita é por sua conta (livre, sem guias).
      Vou testar essa dica com certeza!!
      Obrigada Mari <3

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curadoria de viagem

Receba uma vez por mês em seu e-mail nossas dicas cuidadosamente selecionadas e as novidades do mundo das viagens.