Club 33 – O clube secreto e exclusivo da Disney


Atualizado em:


Você pode já ter ido à Disney, já ter passado pela “New Orleans Square”, e até mesmo pela “33 Street”, mas provavelmente você não notou o Club 33, um lugar tão exclusivo que a probabilidade de você (ou eu, ou alguém que conhecemos) conseguir visitar é quase zero.

O clube foi idealizado pelo próprio Walt Disney há mais de 40 anos e, reza a lenda, tinha o intuito de ser um “agrado” super exclusivo às 33 corporações que patrocinaram os parques. Mas Walt (tô íntima dele já) não chegou a ver o clube pronto pois morreu 5 meses antes de seu lançamento. Ainda assim, toda a decoração e a proposta de atendimento vieram de sua cabeça que, convenhamos, era de uma criatividade inigualável.

A entrada é feita por uma discreta porta azul na New Orleans Square, pintada dessa cor justamente para não chamar atenção. Entrando por ela, seu primeiro contato com o Clube é pelo lounge de entrada, clássico e sóbrio. De lá se tem acesso ao Lounge Alley Bar, para tomar uns drinks iniciais, e ao Trophy Room, que é um lugar de memórias, com fotos de Walt Disney, antigos objetos cheio de história, e uma enorme mesa de jantar. Por fim, chega-se ao salão de jantar principal, com suas poucas mesas e uma decoração que parece que você está no século passado, de tão antiquada.

Porta de entrada

Porta de entrada

Lounge de entrada

Lounge de entrada

Detalhes nas paredes

Detalhes nas paredes

O famoso bar, de onde saem os drinks do Dr. Lee

O famoso bar, de onde saem os drinks do Dr. Lee

Trophy room

Trophy room

Decoração bem breguinha do salão de jantar

Decoração bem breguinha do salão de jantar

Salão de jantar principal

Salão de jantar principal

Previsão de como ficara a sala de jantar depois da reforma: bem melhor, né?

Previsão de como ficara a sala de jantar depois da reforma: bem melhor, né?

A equipe do clube é a mesma há anos e super bem treinada (como todo staff da Disney). Mas lá eles tem a orientação de tratar o membro do clube da maneira mais cortez e pessoal possível. Para se ter uma idéia da fidelidade dos funcionários, nós achamos o blog do barman do Lounge Alley Bar, o Dr. Lee, onde ele conta casos que já viveu, posta fotos dele com alguns membros ilustres, e mostra um pouco do que é a realidade do clube onde ele trabalha.

O barman Dr. Lee

O barman Dr. Lee

Para ter acesso a esse mundo completamente diferente da vida nos parques da Disney, você precisa ter uma espécie de passe. Para isso você teria que ganhar esse passe de alguma das empresas que, por sua vez, pagam milhares de dólares anuais pela “filiação”. São apenas 487 sócios e, mesmo sendo membro do clube, as pessoas ainda estão sujeitas a esperas de anos para poder conhecê-lo já que o espaço é bem reduzido. Dia 06 de janeiro desse ano o clube fechou para uma reforma e expansão, e tem previsão de ser reaberto em julho desse mesmo ano. Mas não se engane, o acesso continuará sendo restrito e exclusivo.

Os benefícios de ser sócio vão além do acesso ao único lugar do complexo Disney que serve bebida alcoólica e o restaurante com a melhor comida. Você ainda tem direito a usar o Lilly Belle, um carro presidencial da frota da Disney (fazendo uma reserva mega antecipada), e o acesso a lugares não permitidos aos visitantes dos parques, como salas e quartos secretos dentro das atrações.

E aí, deu vontade de conhecer? Eu confesso que a história me deixou fascinada, devido ao status de “segredo”!

Você conhece alguém que conhece o Clube 33?

Todas as fotos foram tiradas do site oficial.

Vai viajar?
É preciso planejar!

Planeje sua viagem utilizando os serviços dos parceiros abaixo. Você não paga nada a mais
por isso, e ajuda o SV a continuar produzindo conteúdo de qualidade e gratuito. =)

Curadoria de viagem

Receba uma vez por mês em seu e-mail nossas dicas cuidadosamente selecionadas e as novidades do mundo das viagens.

Deixe seu comentário

  • Junio Honorio

    Eu participei da reforma, Lugar bem rústico, mas tem 3 salas que não podíamos entrar, uma delas era trancada com 17 trancas.
    As vezes apareciam pessoas estranhas, entravam em uma sala com uma porta grande, cada uma delas tinha sua chave, tínhamos ordens pra não falar com ninguém que não era da empresa, uma vez em uma abertura dessa posta vi um símbolo que parecia a águia nazista.

  • Fico imaginando o quanto de sacrifícios devem ter sido feitos ainda dentro desse clubinho aí

  • + Ver mais comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *