O que fazer em Sevilha? Passeios, dicas e sugestão de roteiro


Atualizado em:


Sevilha é, pra mim, uma das melhores surpresas da Espanha. Quando lembro da cidade imediatamente penso em calor, dança flamenca, comidas deliciosas e uma influência árabe fortíssima por causa da herança dos mouros (spoiler: também lembro de Dorne de Game of Thrones). Há muito o que fazer em Sevilha, por isso, nesse post vamos dar todas as informações que você precisa para planejar sua viagem para a capital da Andaluzia.

Confira o que você verá por aqui no índice abaixo, e se quiser ir direto para um assunto específico, clique no tópico de interesse.

-Quando ir para Sevilha? Melhores meses e estações do ano.
-Quantos dias ficar em Sevilha? Mínimo de noites para conseguir aproveitar.
-O que fazer em Sevilha? Lista de 10 atrações imperdíveis
-Nosso roteiro em Sevilha para 3 noites, com dicas de restaurantes, passeios, e mais!
-Conclusão e aprendizados da viagem a Sevilha.

Flamenco sevilha

Sevilha, capital da Andaluzia e berço do flamenco. Foto na Plaza de España.

Quando ir para Sevilha?

Eu amei Sevilha. Eu já tinha visitado a cidade com 14 anos de idade, mas lembrava muito pouco. Mas se tem uma coisa que não esqueci foi o calor que passei. Era julho e estava MUITO QUENTE, tanto é que voltávamos no meio da tarde para o hotel porque era impossível andar sem derreter.  ⠀

Na minha segunda visita em 2019, fui no final de setembro e as boas impressões foram as mesmas mas com uma diferença. Dessa segunda vez estava um calor gostoso e tolerável pra conseguir fazer todos os passeios (não se engane, ainda estava quente, mas parecia o verão do interior de São Paulo e não a entrada para o inferno…rs). Achei a época excelente para curtir a cidade.

quando ir para Sevilha

Final de setembro e clima ainda quente e ameno.

Por isso, ao contrário de muitas cidades européias, a primeira dica pra quem vai a Sevilha é: evite ir no verão. Juro, tem um sol pra cada turista nessa época do ano. Na primavera (abril/maio/junho) o tempo é gostoso para passear e mais firme. O outono (set/out/nov) é parecido, com um calorzinho bom, mas com mais possibilidade de chuva. Além das duas estações que são ótimas para sua visita, Sevilha é uma das melhores cidades européias para ir durante o inverno pois o frio é ameno e não inviabiliza os passeios.

Quantas dias ficar em Sevilha? 

Nessa segunda visita, fiquei 3 noites em Sevilha, o que nos possibilitou dois dias completos para fazer os passeios. Essa é a quantidade mínima de noites que você deve ficar. consegui aproveitar bem a cidade e os principais passeios de Sevilha, mas acredito que 4 noites seriam o ideal para conseguir fazer tudo com calma e curtir a cidade no seu próprio ritmo.

O que fazer em Sevilha Dicas de Passeios

O que fazer em Sevilha? Não subestime a cidade!

Na minha opinião, ficar 1 ou 2 noites em Sevilha é muito pouco. A viagem vai ficar corrida e você vai ter que escolher lugares para deixar de visitar – e há muitas atrações em Sevilha que valem a visita.

Vai por mim, reserve de 3 a 5 noites na cidade. Não menos do que isso. Você vai ficar surpreso com o tanto de coisas que tem pra fazer em Sevilha (e restaurantes e bares maravilhosos pra ir, flamenco…enfim! Rs).

O que fazer em Sevilha? Lista de 10 atrações imperdíveis

1- Real Alcázar de Sevilha

Para mim esse é – definitivamente – um passeio imperdível em Sevilha! O Real Alcázar de Sevilha é o Palácio Real mais antigo da Europa que ainda está em atividade. Isso é, ele ainda é usado quando a família real da Espanha vai para a cidade. Tanta história já aconteceu por lá em mais de 1.000 anos de atividade! Segundo o audio guia que aluguei por lá, foi daqui que saíram parte das embarcações de Cristóvão Colombo para o novo mundo. E ao retornar, foi aqui que Isabel I (ou “Isabel, a Católica”) o parabenizou pela descoberta das Américas.

ingressos Real Alcazar Sevilha

Real Alcázar de Sevilha: a cada canto um novo lugar de cair o queixo.

E não é só de história real que estou falando, tem história fictícia também. O Real Alcázar de Sevilha é nada mais, nada menos do que Dorne, de Game of Thrones! Aqui que foram gravadas as cenas da casa mais calorosa da série de TV, cheia de verde, cenários lindos, calor, mulheres fortes e guerreiras. Quem é fã do seriado logo vai ver a semelhança.

jardim real alcazar sevilha ingresso

Nesse cenário verde e tropical foram gravadas as cenas de Dorne, da série Game of thrones.

Dicas práticas para sua visita ao Real Alcázar de Sevilha: compre o ingresso com antecedência. É possível ir além da visita comum (que já é bem completa) e visitar os Aposentos Reais (ou Cuarto Real, em espanhol), mas para isso, de novo: compre com antecedência. Vá de manhã, pois a atração está menos cheia e você pode curtir o lugar sem pressa ou com tempo contado. O valor do ingresso é €12,50 para a visita comum, e mais €4,50 para quem quer visitar os aposentos reais.

Reserve pelo menos 3 horas para o passeio, e pegue o audioguia. Vai valer a pena entender o que você está vendo e aprender tanta coisa sobre o lugar (e sobre a nossa própria história, consequentemente). Se fosse hoje eu compraria os ingressos pela Ticketbar, que já envia gratuitamente um guia para você ouvir durante a visita, sem precisar pagar extra por isso lá na hora.

2- Plaza de España e Parque María Luisa

A Praça da Espanha foi construída em 1928 para a Exposição Ibero-Americana que aconteceria na cidade em 1929. Ela fica dentro do Parque María Luisa, e é um semicírculo enorme. Essa é uma das melhores atrações da cidade e ainda por cima é gratuita, já que a praça é um espaço público e de livre circulação.

roteiro sevilha plaza españa

Plaza de España, gigante!

Em algum lugar entre os ladrilhos que formam belos mosaicos, as pontes e escadarias, e o “riozinho” artificial que tem alguns barcos tipo gôndolas para os turistas, você encontrará vários artistas de rua tocando e dançando flamenco. Eu achei as apresentações maravilhosas e emocionantes, e que dão um belo gostinho para quem não pretende investir na experiência completa e comprar um show para assistir.

Flamenco Plaza España Sevilha

Apresentação de flamenco na Plaza de España

Aproveite que está aqui e passeie pelos jardins do Parque María Luisa. Pode ser uma boa alugar uma bike para explorar todo o parque, que é maior do que parece no mapa e está cheio de surpresas. O ônibus hop-on hop-off de Sevilha também passa pelo parque.

3- Catedral de Sevilha

A Catedral de Sevilha é a maior catedral da Espanha, a terceira maior do mundo, e a maior catedral gótica do mundo. É realmente impressionante vê-la de cima da Torre La Giralda (próxima atração dessa lista, e que se visita com um mesmo ingresso). Além de ser grandioso e opulento, o interior da catedral também abriga vitrais lindíssimos e o túmulo de Cristóvão Colombo.

Em adição a visita da Catedral e da Torre La Giralda, é possível subir nos telhados do edifício! Você paga 6 euros a mais ao valor do ingresso normal (que custa 10 euros), e consegue passear pelos telhados da catedral de Sevilha junto com um guia. Mas fique esperto! Há poucos horários e uma quantidade limitada de visitantes por dia que podem subir aos telhados. Logo, o ingresso costuma esgotar rápido. O melhor é comprar seu ingresso online e com antecedência para garantir.

Catedral Sevilha

Interior da Catedral de Sevilha com muito ouro! Insha’Allah!

Dica extra: o Passe de Sevilha inclui a entrada deste e outros lugares!

4- Torre La Giralda

Como dito anteriormente, esse é um passeio feito e vendido junto com a visita a Catedral de Sevilha. A torre La Giralda tem 104 metros de altura, mas a maior parte do acesso é feito por 35 rampas e não escadas (tem alguns poucos degraus no finalzinho). Isso porque, na época, o sultão queria subir até lá a cavalo para ver as vistas e o que estava acontecendo na cidade. Mesmo tendo pouco espaço lá em cima, basta esperar um pouco que você conseguirá arrumar seu espaço para admirar o horizonte sevilhano. Quem sabe até não escuta o sino tocar.

Ah e se prepare, pode rolar filas nas rampas, mas tem umas janelinhas ao longo do caminho que denunciam o que está por vir. =)

Janela La Giralda

No meio da subida, janelas vão revelando as paisagens que você terá do alto da torre La Giralda.

Me contaram que o livro Fortaleza Digital de Dan Brown se passa em Sevilha, e no livro ele muda as rampas da torre por escadas. Fiquei curiosa pra ver como seria uma história com Sevilha como plano de fundo, e esse livro entrou pra minha listinha de próximas leituras.

5- Paseo del Rio Guadalquivir e Torre del Oro

Se você olhar no mapa, Sevilha não é uma cidade costeira. Uai, mas então como a cidade foi um dos importantes portos para as embarcações que saiam para e chegavam do Novo Mundo? Simples, por causa do rio Guadalquivir que continua até desaguar no Oceano Atlântico. Para nós, turistas, o rio Guadalquivir tem tipo um calçadão na margem com árvores, pista para pedestres e ciclistas, bancos para descansar e uma atividade super gostosa, principalmente no final de tarde e começo da manhã. Quem quiser ir além, pode também pegar um cruzeiro pelo rio (eu passei essa).

Paseo Rio Guadalquivir e Torre del Oro

Paseo do Rio Guadalquivir com a Torre del Oro ao fundo.

Rio Guadalquivir Sevilha

Cruzeiros rápidos saem de lá, perto da Torre del Oro.

Durante esse Paseo, você irá passar pela Torre del Oro, que era uma torre de defesa da cidade. Atualmente é possível entrar e há um museu naval, mas eu também passei essa visita principalmente por não haver acesso até a parte externa da torre, pra ver o rio lá de cima. Curta 3 euros e é gratuito as segundas – se não me engano (vale confirmar).

6- Passear pelo Bairro de Santa Cruz

Andar e se perder pelas ruas do antigo bairro judeu de Sevilha (ou judería) é um passeio e tanto. Há várias lojinhas, bares e restaurantes e vielas que deixam qualquer turista perdidinho. Mas vale a pena pegar algum mapa e traçar um trajeto que inclua algum desses pontos de interesse: Plaza de Santa Cruz, Plaza de los Venerables, Plaza de Doña Elvira, Callejon del Agua, Plaza de la Alianza e Patio de Banderas (já no finalzinho do bairro, perto da entrada do Alcázar).

Bairro Santa Cruz Sevilha

O bairro tem várias lojas para se acabar nas compras.

Na nossa primeira visita nos hospedamos em um hotel pra lá de charmoso por aqui, chamado Las Casas de La Judería. Foi um dos hotéis que mais me marcou e olha que eu tinha uns 12 ou 13 anos só. Lembro que lá dentro era bem labiríntico, e cheio de pátios e corredores gracinhas. Era julho e estava super calor então curtimos bem a piscina que ficava numa cobertura no meio de outros predinhos. Tudo era fofo e espero poder voltar um dia (não rolou dessa vez porque ele já estava lotad0).

Bairro Santa Cruz

Explorando os cantinhos fofos do bairro Santa Cruz.

Nessa última visita almoçamos na Bodega Santa Cruz, um restaurante super “raíz” e muito bem indicado no bairro. Comemos bem algumas tapas, provamos o flamenquín cordobês (tipo o nosso enroladinho frito), um prato médio de espinafre e cervejinha, e o preço final doi só 8 euros por pessoa. Adorei.

7- Bairro Triana

A visita ao bairro de Triana é perfeitamente fácil de ser combinada com o Paseo do rio Guadalquivir (item 5 desse texto) e com a visita a Plaza de Toros de Sevilha (10). Tirana é o bairro de Sevilha onde nasceu o flamenco, e por isso fica ainda mais gostoso a noite, para assistir a um show enquanto toma algo e come uns tapas! Além disso, a arquitetura é diferente e bem autêntica, e rende bons passeios e andanças.

8- Metropol Parasol (Setas de Sevilla)

O Metropol Parasol é mais conhecido como as “Setas de Sevilla” (setas significa cogumelo em espanhol). Na verdade é uma estrutura gigante de madeira que tem no topo um mirante (mirador em espanhol) acessível para os turistas observarem a cidade do alto ou assistirem ao pôr do sol. Lá em cima há passarelas e até um bar, enquanto que no subsolo estão escavações arqueológicas ao lado de onde se compram as entradas. Nós compramos o ingresso na hora, pegamos uma fila de uns 20 minutinhos e pagamos 3 euros.

Metropol Parasol

Metropol Parasol, mais conhecido como as Setas de Sevilla.

Setas de Sevilla

Em cima do Mirante.

O projeto foi pensado para revitalizar a Plaza de la Encarnación e seus arredores, que estavam abandonados. Por isso é uma atração super recente, inaugurada em 2011. E aparentemente a ideia funcionou, porque não me lembro de ter ido pra lá na minha primeira visita a Sevilha e ainda almoçamos em um restaurante super legal e badalado lá do lado, chamado Perro Viejo Tapas Bar, que recomendo fortemente.

9- Assistir a um show de Flamenco

Como já mencionei no tópico 2 é possível assistir a vários artistas de rua cantando, tocando e dançando música flamenca pelas ruas de Sevilha (seja na Plaza de España, nos arredores da Puerta Jerez e em outros locais). Mas, ver uma performance inteira de Flamenco é algo bem interessante e com certeza uma experiência mais completa. No bairro de Triana há vários lugares, conforme falei no tópico 7 do post… rs, como o t de Triana, Museu del Baile Flamenco e Casa de la Memoria. Mas queria deixar aqui uma dica que é um super segredinho.

Flamenco em Sevilha

Artista de rua performando perto da Puerta de Jerez.

Existe um centro cultural chamado Don Cecílio, em Triana, que é bem “raíz” e com pouquíssimos turistas. Váris velhinhos fofos para você tomar uma junto e conversar. Pegamos uma outra dica com um sevilhano de um lugar chamado Laberinto Flamenco Tablao, na rua Castellar 52 (o insta é @castellar52) que é um lugar bem barato e autêntico para ir também. Mas esse não conseguimos testar, infelizmente.

10- Plaza de Toros La Maestranza

Apesar de 58% da população ser contra touradas atualmente e da quantidade de shows ter caído pela metade em uma década (fonte), em algumas cidades ainda existe esse típico espetáculo espanhol onde um toureiro enfrenta um touro em uma arena (detalhe: até matá-lo ou ser morto por ele, em alguns raros casos). Na GetYourGuide você consegue comprar o ingresso para Real Maestranza, e ainda sem filas.

Vista da Torre La Giralda

Consegue achar a Arena de Toros?  Foto tirada de cima da torre La Giralda.

Na minha opinião o evento é bem cruel e deve ficar na história apenas. Por isso, acho muito mais interessante conhecer o bonito espaço da arena de touros de Sevilha, e o museu que há lá dentro, do que de fato assistir a uma tauromaquia – nome popular para as “touradas”. No museu dá pra ver de perto os trajes dos toureiros, conhecer histórias bizarras e verídicas de eventos passados, dar uma volta na arena, arquibancada e etc… tudo isso sem precisar assistir a uma matança ao vivo.

Nosso roteiro em Sevilha para 3 noites

Passei 3 noites em Sevilha no final de setembro e o nosso roteiro ficou bem redondinho. Dessa vez, fiquei hospedada no hotel Macià Sevilla Kubb que tinha um excelente custo X benefício (pagamos 100 euros para um quarto duplo, amplo, limpo, novo e com um excelente banheiro). Mas, como falei anteriormente, já fiquei hospedada também no Hotel Las Casas de Judería, um pouco mais caro, mas no coração do charmoso bairro Santa Cruz e MUITO, mas muito charmoso mesmo. Inesquecível!

Leia também: Onde ficar em Sevilha? Os melhores bairros e hotéis selecionados por nós.

Espaçoso quarto do hotel Maccià Sevilla Kubb.

Nosso roteiro por Sevilha ficou assim no final:

Chegada na cidade

Eu cheguei em um vôo a partir de Paris e peguei um ônibus para o hotel. Já cheguei a noite, então fiz check in e me instalei no hotel Macià Sevilla Kubb, que tinha um excelente custo X benefício, era muito fofo, moderno, limpo e amplo. Adorei mesmo! Tive tempo de pegar umas tapas em um boteco bem local perto do hotel e descansar para o dia seguinte, enquanto esperava minha amiga chegar. A Arianne veio de trem a partir de Madrid e o trajeto demorou 2:40h.

Veja aqui outros ingressos para atividades em Sevilha

Dia 1 do roteiro em Sevilha

Manhã:

Acordamos com pique total. Saímos a pé pegando a Calle San Esteban em direção ao Metropol Parasol (Setas de Sevilla). No caminho atravessamos o bairro de Alfafa, pegamos um pan com jamón de café da manhã em um lugar chamado Gocho, e começamos a nos ambientar pela cidade. Subimos nas Setas de Sevilha para curtir a vista da cidade e já deu pra sentir o calor e sol forte bem característicos da região da Andaluzia. O ideal por lá é sempre deixar os passeios ao ar livre (ou que são no sol) para o começo da manhã ou final de tarde, assim você não sofrerá tanto.

Sanduíche Jamón Espanha

Vai um sanduíche de jamón ai?

Continuando: descemos do gigante “cogumelo” de madeira famintas e fomos no Perro Viejo Tapas Bar. O lugar foi uma surpresa mais do que agradável e chegamos pouco antes dele ficar lotado. Demos sorte! Pedimos yakitori de frango, tartar de jamón ibérico com guacamole (achei ousado) e solomillo de ternera – contrafilé – com purê trufado. Tudo estava surpreendentemente bom e agradeci imensamente pela indicação ao concierge do nosso hotel. O melhor? A conta ficou 18 euros por pessoa, com cervejinha ainda por cima.

onde comer em Sevilha

Yakitori e tartar no Pierro Viejo, restaurante e tapas bar em Sevilha

restaurante em sevilha

Contrafilé com purê trufado, no Perro Viejo

Tarde:

Para fugir do sol e calor, aproveitamos o começo da tarde para visitar a Catedral de Sevilha. O ingresso dá direito a entrada na catedral + torre La Giralda. Queria muito subir e fazer o tour ao telhado da Catedral, mas não haveria visita nesse dia. De todo modo, a Catedral já impressionou bastente. Ela é gigante e cheia de ouro em todos os cantos. A subia a torre La Giralada foi menos cansativa do que eu esperava, já que o fato de ser rampa ajuda mais do que se fosse escada. De cima da torre dá pra ver como a catedral é imensa. Terminamos o passeio no agradável Patio de los Naranjos.

Torre La Giralda Sevilha Espanha

Foto da torre La Giralda, tirada do Patio de los Naranjos.

Saindo de lá, pegamos um sorvetinho no Amorino e continuamos caminhando pelo centro turístico e vendo a vida na cidade. Sentamos perto da Puerta de Jerez, uma grande praça com uma fonte e banquinhos, e assistimos a uma apresentação de flamenco de uns artistas de rua que estavam performando gratuitamente (passando o chapéu, que sempre faço questão de prestigiar).

Puerta de Jerez Sevilha

Puerta de Jerez, em Sevilha

Seguimos caminhando até a Torre del Oro que apenas vimos por fora, e continuamos no passeio nas margens do rio Guadalquivir. Era final de tarde e havia muita gente correndo, passeando ou andando de bike por lá. Um clima super gostoso!

Seguimos em direção a Plaza de Toros de la Real Maestranza, mas não quis entrar para o passeio. Me recordava bem do museu e da arena de touradas da minha última visita, e preferi pular dessa vez. Para quem nunca visitou, pode ser uma boa incluir nesse dia de passeio.

Noite:

Cruzamos a Puente de Isabel II em direção ao bairro de Triana, um bairro sevilhano bem autêntico, boêmio e onde nasceu o flamenco. Andamos pela rua de pedestres Calle San Jacinto e por outras lá perto para ver a arquitetura e vida do bairro. Voltamos para perto do rio e paramos para tomar uma cervejinha no T de Triana, um bar aconchegante que tem apresentações pagas de flamenco. Mas, a apresentação aconteceria apenas duas horas depois, então desistimos e terminamos nossa cerveja sentadas perto do rio e fomos embora para comer em outro lugar.

Mercado Lonja del Barranco, mercado gastronômico em Sevilha

Primeira paella da viagem! No Mercado Lonja del Barranco, mercado gastronômico de Sevilha.

Cruzando a Puente Isabel II (ou ponte de Triana) de volta para o centro da cidade, passamos pelo Mercado Lonja del Barranco que era uma indicação de um amigo que morava lá. O mercado gastronômico tinha várias boas opções para comer. Eu fui de paella, já que era meu primeiro dia na Espanha. =P

Pegaríamos um uber de volta para o hotel, mas o Google Maps nos mostrou um ônibus que ia direto do mercado até a porta do hotel praticamente. Fomos e rapidinho chegamos lá, exaustas e prontas para descansar para o dia seguinte.

Dia 2 do roteiro em Sevilha

Manhã:

A ânsia pra conhecer tudo nos fez acordar cedo pra ir até o Bairro de Santa Cruz, o antigo bairro judeu de Sevilha. A ideia era se perder pelas ruelas mega fofas e labirínticas. Achamos um mapa em uma parede do bairro e usamos ele de guia para explorar. Os pontos que mais gostei foram: Plaza de Santa Cruz, Plaza de los Venerables, Plaza de Doña Elvira, Callejon del Agua, Plaza de la Alianza e Patio de Banderas.

Roteiro Sevilha

Explorando o agradável Bairro Santa Cruz.

Almoçamos na Bodega Santa Cruz, lugar hiper tradicional e bem raíz em Sevilha. Uma ótima dica de onde comer em Sevilha.  Provamos os famosos flamenquíns, criado na província de Córdoba e presente em tudo quanto é lugar. Pra mim era basicamente um enroladinho frito de presunto e queijo de cantina de escola…ou seja, uma delícia! Rs. Comecei a desconfiar que nossa viagem pela Andaluzia seria bem barata, afinal a conta toda deu 8 euros por pessoa (com cerveja de novo…rs). E olha, devo dizer que eu estava certa, essa viagem é realmente mais barata do que diversos destinos europeus! =)

Onde comer em Sevilha

Bodega Santa Cruz: despretensioso, autêntico e barato!

Antes de ir para o próximo passeio, tomamos um cafézinho árabe e chá em um lugar chamado Al Sultan. Com uma decoração bem árabe pesada e shisha bar. Cumpriu o seu papel de ser um lugar pra esperar o nosso horário de entrada no Real Alcázar, e com o bônus de sentar no ar condicionado.

Tarde:

Nossa visita ao Real Alcázar de Sevilha estava marcada para as 14:30h. Mas chegamos adiantadas, um pouco depois das 14h, e conseguimos entrar sem problemas. Comprar ingresso com antecedência foi essencial para evitar as filas gigantes, e foi super fácil. Esse foi o passeio que mais amei em Sevilha. A história é fascinante, o jardim poderoso e a construção riquíssima em detalhes e de uma beleza singular (ótimo para fotos por sinal) que nos transportam para um outro mundo. Não é a toa que esse virou o cenário detantas séries e filmes, e foi ali que foram gravadas cenas de Dorne, minha casa favorita da série Game of Thrones. =P

Real Alcazár Sevilha

Beleza para todos os lados no Real Alcázar de Sevilha

Detalhes árabes em Sevilha

It’s all about the details!

Eu comprei ingresso no site oficial e depois lá na hora paguei a mais pelo audio-guia. Mas depois vi na Ticketbar (um site que já usei várias outras vezes e de confiança) que eles vendem ingresso pelo mesmo preço que o site oficial e ainda enviam por e-mail um áudio explicativo pra você ouvir quando estiver lá. Achei BEM legal por isso indico aqui, é onde eu compraria da próxima vez pra não precisar pagar extra pelo guia de áudio.

O segundo passeio da parte da tarde foi igualmente incrível, e esse tem um bônus: é gratuito! Seguimos para a Plaza de España no final da tarde, assistimos sentadas nos degraus da praça a mais alguns artistas de rua dançando e cantando flamenco. aproveitamos para passear também pelo Parque María Luisa. Encerrando nossos passeios em Sevilha com chave de ouro!

Parque María Luisa

Parque María Luisa, em Sevilha

Noite:

Era dia de semana, mas as ruas estavam bombando em Sevilha. Para nossa última refeição tínhamos várias opções super descoladas, centrais e estilosas: Mamarracha, Ovejas Negras Tapas, e Bar Pelayo. Acabamos indo no Bar Pelayo, em mais uma indicação certeira do nosso amigo de Sevilha (que infelizmente não estava na cidade quando fomos). A localização do bar era bem central, mas mesmo assim vimos muito locais por lá. Bom sinal! Mesmo sendo um lugar relativamente grande, entramos e tivemos que esperar um pouquinho até conseguirmos sentar.

Bar de tapas barato em Sevilha

Olha que graça os pratos. Sem contar que eram ‘tapas’ mas tinham um tamanho muito generoso.

onde comer em Sevilha

Polvo do Bar Pelayo, delícia de lugar e comida!

Quanto custa viajar Espanha

A surpresa (positiva!) na hora da conta, para duas pessoas!

Os pratos estavam tão bonitos, fora que estavam muito, mas muito saborosos! Pedimos croquetas de jamón, bochecha de porco ibérico com espuma de batatas e cogumelos, filé de porco com cebolas fritas, gazpacho e polvo com batatas e aroma de manjericão. Uma apresentação linda,  pratos bem elaborados e de novo… tudo deu 20 euros para duas pessoas. Ah, já estou com saudades de comer em Sevilha e aproveitar a Andaluzia.

Saída de Sevilha

Acordamos cedo para ir até a estação de trem, pois seria lá que pegaríamos o carro que alugamos e seguiríamos para Ronda, depois Marbella e muitas outras cidades que visitamos nessa nosso roteiro pelo sul da Espanha (esse é um destino TÃO gostoso que fico nostálgica só de pensar). Visitamos tudo o que queríamos, mas se você quiser fazer a viagem em um ritmo mais calmo, ou se ficou algo de fora, você pode reservar essa manhã para terminar de fazer os passeios em Sevilha!

De Sevilha continuamos nossa viagem até Ronda (foto), depois Marbella, Málaga e muito mais. Confira o roteiro completo da viagem aqui.

Conclusão e aprendizados da nossa viagem para Sevilha

Já disse e repito: Sevilha me encantou e mesmo já tendo ido duas vezes, ainda voltaria! Comemos super bem em todas as nossas refeições por lá, fiquei surpresa com a quantidade de atrações turísticas em Sevilha, o flamenco está por toda parte, a influência árabe e a simpatia das pessoas também. Adorei nosso hotel Macià Sevilla Kubb, por mais que tenha ficado morrendo de vontade de ficar novamente no super charmoso Las Casas de Judería, que estava lotado.

Achei 3 noites excelentes para conhecer o básico da cidade, e as principais atrações como o Real Alcazár (foto), a Catedral e a La Giralda, a Plaza de España, o mirante Metropol Parasol, os cantinhos boemios e o delicioso bairro de Santa Cruz. Ter um diazinho a mais seria ideal pra curtir outras partes e passeios da cidade com calma (a gente sempre quer mais né? Rs).

De todo modo, aproveitamos muito, gastamos pouco, e ficamos tempo suficiente pra sairmos encantadas e completamente surpresas com o charme e a recepção da capital da Andaluzia. Espero que tenham gostado também! 😍

Veja a continuação dessa viagem no post abaixo:

Roteiro Andaluzia: o que fazer e dicas do sul da Espanha

Veja também essas imagens em 4K gravadas na cidade. Um pouco mais de inspiração para você escolher os seus passeios em Sevilha:

Vai viajar?
É preciso planejar!

Planeje sua viagem utilizando os serviços dos parceiros abaixo. Você não paga nada a mais por isso, e ajuda o SV a continuar produzindo conteúdo de qualidade e gratuito. =)

Curadoria de viagem

Receba uma vez por mês em seu e-mail nossas dicas cuidadosamente selecionadas e as novidades do mundo das viagens.

Deixe seu comentário

  • Eu tenho tanta vontade de conhecer essa região da Espanha! Sevilla parece encantadora, tão animada, cheia de cores. E a comida? <3 Quero muito ir! Seu texto é uma inspiração!

    • Klecia, Sevilha é tudo de bom!! Me surpreendi a primeira vez que fui, voltei quase 15 anos depois e me surpreendi de novo! Um super destino na Espanha, e cheio de coisas pra fazer e ver (e a comida DELICIOSA e barata).
      Obrigada demais pelo comentário. =)
      Beijos

  • Eu amei conhecer Sevilha, fui em no final de outubro e tava muito quente, pude andar de camiseta e andei bem felizona haueaheu me surpreendi com a história e com a arquitetura, sem falar na comida boa!

  • Sou muito apaonada pela Espanha e não conheço Sevilha. Quero muito conhecer ainda.
    Que região agradável.
    Obrigada por compartilhar

    • Se você gosta da Espanha então tenho certeza que vai amar passear por Sevilha! Uma vibe boa, muita coisa legal pra fazer, história, comida boa, barata…ai tudo de bom, saudades! hehehe
      Obrigada por comentar! =)

  • Débora Resende

    Sevilha é uma cidade que sempre quis conhecer, e seu post só fez aumentar essa vontade! Confesso que não sabia que tinha tanta coisa legal para fazer por lá!

  • + Ver mais comentários

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *