Cidades da África do Sul: os melhores destinos pra sua viagem


Atualizado em:


Quando falamos de cidades da África do Sul, quem viaja geralmente tem um lugar em mente: Cidade do Cabo (Cape Town, em inglês). Apesar dela ser tudo isso e mais um pouco, não é a única cidade do país que merece a visita.

Joanesburgo é, na minha opinião, parada obrigatória, e outros centros como Durban e Pretória tem experiências muito interessantes a oferecer. Para os fãs de cidadezinhas então, a Região Vinícola e a Garden Route estão cheias de opções fofas. Como a variedade é grande, aqui apresentamos as principais cidades pra você planejar sua viagem pela África do Sul.

Se quiser ir direto pro texto sobre uma cidade específica, é só clicar nos links abaixo:

Cidade do Cabo: o cartão-postal da África do Sul
Joanesburgo: pra conhecer a história do país
Stellenbosch e Franschhoek: cidades da África do Sul para quem é fã de vinho
Durban: pra quem tem tempo ou vai pela segunda vez
Pretoria: capital executiva, pertinho de Joanesburgo
Port Elizabeth: ponto de partida ou chegada da Garden Route
Garden Route: rota pela costa que passa por várias cidades da África do Sul
Panorama Route: rota à caminho do Kruger National Park
Safári: muitas opções, nenhuma cidade específica, mas tem que fazer

Cidade do Cabo: o cartão-postal da África do Sul

Não tem quem não ame Cape Town!
Vista pra praia de Camps Bay.

Comparada frequentemente com o Rio de Janeiro, eu afirmo com tranquilidade que Cidade do Cabo (ou Cape Town) é um dos lugares mais lindos do mundo. A mistura de mar e montanha, combinada com a arquitetura de influência holandesa, cria um visual que te faz suspirar a cada esquina.

Das cidades da África do Sul, ela é a mais voltada para o turismo. Por isso tem uma infraestrutura de ponta e opções pra todos os tipos de visitantes, o que faz com a maioria das pessoas concentre boa parte da viagem lá. Além disso, Cape Town tem nos arredores várias opções de bate e volta, como Franschhoek e Stellenbosch, na região vinícola, e Hermanus, na costa. Isso torna mais fácil para quem gosta de montar algumas poucas bases e explorar os arredores, sem ter que fazer muitas trocas de hotéis.

Cape Town tem, por exemplo, montanhas com vistas maravilhosas que podem ser acessadas por trilha ou teleférico; praias lindas (apesar das águas geladas, não vou mentir); museus e bairros que contam a história do país; e muitas atividades de aventura.

Além disso, é também uma cidade cosmopolita e descolada, abrigando alguns dos melhores restaurantes do continente, museus e galerias de arte, e excelentes centros comerciais. Não tem erro. Se você vai passear pelo país, tem que incluir a Cidade do Cabo no seu roteiro.

Quanto tempo ficar na Cidade do Cabo? No mínimo 4 noites.

Joanesburgo: pra conhecer a história do país

Entardecer na Ponte Nelson Mandela em Joanesburgo
Além de ser uma metrópole, Joanesburgo é muito arborizada e tem um fim de tarde lindo.

Muitos viajantes não incluem Joanesburgo no roteiro ou passam só um dia por lá antes de seguir pra outro destino. Entretanto, a minha sugestão – ou pedido, na verdade – é: não faça isso!

Além de ser a capital econômica da África do Sul e uma espécie de hub pra todo o continente, Joanesburgo é o lugar ideal pra você conhecer a história do país que está visitando.

Viajar pela África do Sul sem visitar o Museu do Apartheid , assim como o Bairro de Soweto, é ignorar uma história sobre a qual todos precisamos aprender: a luta do povo sul-africano pelo fim do regime de segregação racial.

E as atrações não se limitam à parte histórica. Joanesburgo é também uma das cidades mais descoladas da África do Sul, um polo criativo que reúne museus e galerias de arte, bares de jazz, mercadinhos de comida e artesanato, e experiências gastronômicas inesquecíveis. Assim, Joburg ou Jozi, como é apelidada, é pra mim o coração do país.

Quanto tempo ficar em Joanesburgo? No mínimo 2 noites.

Durban: pra quem tem tempo ou vai pela segunda vez

Vista aérea de Durban, terceira maior cidade da África do Sul.
Farol de uMhlanga, fotografado do hotel The Oyster Box.

Considerando que, além dos dias na Cidade do Cabo e Joanesburgo, o ideal é deixar mais duas noites no mínimo pra fazer safári, Durban é uma das cidades que acaba ficando como opção pra quem tem mais tempo de viagem, ou está voltando ao país depois de já ter feito uma primeira visita.

Terceira maior cidade da África do Sul, uma das coisas mais legais sobre Durban é que ela é a cidade fora da Índia com a maior população de indianos no mundo. Isso se reflete na gastronomia – os currys são um espetáculo à parte -, na cultura e nos passeios, como o Museu Mahatma Gandhi – o ativista viveu por mais de 20 anos na África do Sul.

Além disso, Durban é uma cidade de praia e, voltada pro Oceano Índico, tem águas bem mais quentinhas que as de Cape Town. Por lá também dá pra surfar, fazer passeios pela orla ou no Moses Mabhida Stadium – estádio feito pra copa que virou centro turístico e oferece, por exemplo, salto em estilo swing e passeio de segway. Por fim, Durban pode ser ponto de partida pra parques nacionais como o Drakensberg, famoso pelas montanhas, e a reserva de safári Hluhluwe-Umfolozi.

Quanto tempo ficar em Durban? No mínimo 2 noites.

Stellenbosch e Franschhoek: cidades da África do Sul para os fãs de vinho

A região de Franschhoek vista de cima.

Os apaixonados por vinho encontram um prato cheio na África do Sul!

É possível fazer degustação sem sair de Cape Town, já que ela mesma tem um bairro que abriga vinícolas – Constantia. Ou ainda, optar só pelo bate e volta de mesmo dia paraa cidades como Stellenbosch ou Franschhoek, que fazem parte da Região Vinícola do Cabo.

Mas se você é fã de enogastronomia e de cidadezinhas charmosas, vale a pena passar a noite em uma das duas.

Uma ruazinha em Stellenbosch.

Mas qual a diferença entre essas duas cidades enoturísticas da África do Sul? Eu diria que enquanto Stellenbosch é um lugar um pouco mais real, Franschhoek é aquela espécie de paraíso feito pros turistas.

Stellenbosch é a segunda cidade mais antiga da África do Sul e é uma cidade universitária, já que abriga a Stellenbosch University. Assim, ela é maior e parece ter um ritmo mais independente do turismo.

Franschhoek, por outro lado, é bem pequena, focada em uma grande rua que contempla a maioria dos hotéis e restaurantes, além de lojinhas, galerias de arte, etc.

As duas oferecem experiências incríveis, mas se eu tivesse que escolher uma, me renderia a Franschhoek pelas opções culinárias.

Quanto tempo ficar em Stellenbosch ou Franschhoek? Dá pra fazer bate e volta ou ficar 1 noite.

Pretoria: capital executiva, pertinho de Joanesburgo

Pretoria, cidade na África do Sul
As ruas de Pretória cheias de jacarandás. Crédito: South African Tourism.

Pretoria é uma das capitais da África do Sul – pois é, o país tem três capitais: Pretoria é a executiva, Cape Town é a legislativa e Bloemfontein a judiciária.

Dá pra passar uma noite lá ou fazer um bate e volta de Joanesburgo se você quiser ver os Union Buildings, residência oficial e sede do gabinete do presidente sul-africano. Além disso, outros pontos turísticos ligados à história do país que podem ser visitados são o monumento Voortrekker e o Freedom Park.

Pretoria é conhecida como a cidade dos jacarandás, já que tem as ruas cheias dessas árvores. Assim, se for na primavera, se prepare pra ver tudo roxinho, é um espetáculo. 

Quanto tempo ficar em Pretoria? Dá pra fazer bate e volta ou passar no mínimo 1 noite.

Port Elizabeth: ponto de partida ou chegada da Garden Route

Elefantes em safári na reserva Shamwari, em Port Elizabeth.

Port Elizabeth é uma cidade de praia a partir da qual você pode começar ou terminar o seu trajeto pela Garden Route. Ainda que a maior parte da viagem se concentre em outras cidades da rota, por lá vale a pena conhecer a praia e o calçadão, ir para o Donkin Reserve, atração histórica, e seguir pela Route 67, que reúne algumas atrações artísticas e culturais.

Mas o mais legal mesmo é a possibilidade de fazer safári nas reservas privadas que ficam pertinho da cidade. Você pode deixar pra fazer o seu safári em outros lugares, como o Kruger National Park ou o Madikwe Game Reserve, mais próximos de Joanesburgo, mas também pode inclui-lo no seu trajeto pela Garden Route.

Algumas opções por ali são, por exemplo, o Shamwari Game Reserve e o Amakhala Game Reserve. Além disso, fica por lá o Addo Elephant National Park, que tem mais de 600 elefantes, entre outros animais.

Quanto tempo ficar em Port Elizabeth? No mínimo 1 noite na cidade; no minímo 2 noites fazendo safári.

Garden Route: rota pela costa que passa por várias cidades da África do Sul

Bloukrans Bridge, ponte de onde é realizado o salto de Bungee Jump, uma das principais atrações da Garden Route. Crédito: Face Adrenalin.

Oficialmente, a Garden Route é uma rota de 300km que vai da cidade de Mossel Bay a Storms River. Outra forma de colocar é dizer que ela liga Cape Town e Port Elizabeth, já que esses são normalmente os pontos de saída e chegada dos viajantes.

São muitas as cidades por onde você pode parar enquanto desbrava suas principais atrações. Storms River e Plettenberg Bay talvez sejam as mais centrais, mas Knysna, Wilderness e Mossel Bay também são boas opções.

É possível percorrer a Garden Route de carro, contratando um tour, ou de Baz Bus, ônibus super prático que te deixa e te busca na porta de vários hostels e hotéis associados.

Bom, e o que fazer por lá? Visitar praias maravilhosas – e aqui vale mencionar Jeffrey’s Bay, paraíso dos surfistas que recebe até etapa do campeonato mundial -, desbravar reservas naturais, como o Tsitsikamma National Park, que tem trilha, caiaque, tirolesa, passeio de segway e muito mais, fazer safári, como comentei antes, entre outros.

Por fim, para os mais aventureiros, vale a pena se jogar na sua maior atração: o Bungee Jump da Bloukrans Bridge! Maior Bungee Jump de ponte do mundo, é pra muitos o auge da experiência na Garden Route.

Quanto tempo ficar na Garden Route? No mínimo 3 noites sem safári, no mínimo 5 noites com.

Panorama Route: rota à caminho do Kruger National Park

Blyde River Canyon, uma das paradas da Panorama Route. Crédito: South African Tourism.

Mais uma rota, essa tem algumas das paisagens mais bonitas da África do Sul e pode ser feita em um dia, no caminho de ida ou de volta entre Joanesurgo e o Kruger National Park.

A principal atração por lá é o Blyde River Canyon, maior cânion verde do mundo. Ele dá nome à reserva, mas o passeio também inclui paradas como: God’s Window, Three Rondavels, Bourke’s Luck Potholes, e as cachoeiras Berlin e Lisbon Falls.

Se quiser passar a noite na região, vale se hospedar na cidade de Graskop. 

Quanto tempo ficar no Panorama Route? Meio dia é suficiente.

Safári: muitas opções, nenhuma cidade específica, mas tem que fazer! =)

Leões em safári na Madikwe Game Reserve.

Não há uma cidade da África do Sul específica aonde você deva ir pra fazer safári. Ainda assim, vale deixar claro aqui que você tem que reservar pelo menos duas noites da viagem pra essa atividade.

Entre as muitas opções de Reservas Privadas e Parques Nacionais da África do Sul, estão o Pilanesberg National Park, o Kruger National Park e a Madikwe Game Reserve, mais próximos de Joanesburgo, além dos safáris já mencionados na Garden Route (perto de Port Elizabeth), e de outras opções em KwaZulu-Natal, província de Durban.

Como esse assunto é bem extenso e envolve muitas opções diferentes, decidimos dedicar um post exclusivo para falar sobre os Safaris na África do Sul. Em breve aqui no blog. =)

Vai viajar?
É preciso planejar!

Planeje sua viagem utilizando os serviços dos parceiros abaixo. Você não paga nada a mais por isso, e ajuda o SV a continuar produzindo conteúdo de qualidade e gratuito. =)

Curadoria de viagem

Receba uma vez por mês em seu e-mail nossas dicas cuidadosamente selecionadas e as novidades do mundo das viagens.

Deixe seu comentário

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *