Cultura e Gastronomia em Barcelona: Museu Picasso + dica de restaurante


Atualizado em:


Pablo Picasso nasceu em Málaga, na Espanha, e morreu em Mougins, na França. Mas, nesse meio do caminho, morou em algumas cidades como La Coruña, Paris e Madrid, e também em Barcelona, onde começou a se destacar como artista quando tinha apenas quatorze anos.

Por isso há diversos museus chamados de “Museu Picasso” pela Europa: em Málaga, Paris, Barcelona, Lucerna e etc. Os mais conhecidos são os de Barcelona e Paris.

No de Barcelona, o destaque são as obras do começo de sua carreira, período da sua formação artística em Barcelona quando fazia alguns estudos (que viriam a ser as suas grandes obras no futuro e, também, o cubismo).

Picasso Museu

Museu Picasso Barcelona

Entre uma ruazinha estreita e outra do bairro de Born, está o Museu Picasso, em um edifício antigo de vários andares. A visita completa demora, em média, uma hora e meia (dependendo do ritmo do seu passo e da quantidade de pessoas dentro do museu).

O Museu mostra o trabalho do pintor na sua juventude e a sua relação com Barcelona. Fizemos um compilado das principais características e obras de cada sala, para facilitar a compreensão dos períodos e agilizar e contextualizar a sua visita.

Sala 1- Ainda estudante da Escola de Belas Artes de La Coruña, já mostrava sua preocupação com as expressões faciais, e fazia seus próprios estudos individuais, além de seguir com suas obrigações. Principal obra da sala: “Homem com boina”.
Sala 2- Já em Barcelona, continua estudando mas começa a retratar aspectos urbanos ao seu redor. Esforça-se pra capturar a essência da figura humana. Principal obra: “Primeira comunhão”.
Sala 3- Começa estudos de Realismo social com o quadro “Ciência e caridade”, que marcou o fim da sua fase jovem. Ficou um ano estudando em Madrid, mas negava as regras da Academia. Copiava obras do Museu do Prado como jeito de estudar. Depois foi pra Horta de San Juan e achou o melhor período.
Sala 4- Entra para a vanguarda catalã na taberna 4 Gats e influencia o Modernismo de Barcelona. Fazia estudos de imagens humanas ao pintar os amigos.
Sala 5- Produz pôsters e participa de competições pra ganhar dinheiro. Também desenha pra revistas de arte.
Sala 6- Sala que mostra ilustrações de Picasso dos anos de 1900.
Sala 7- Vai a Paris e entra em contato com as vanguardas impressionistas pontilistas e neoimpressionistas. Destaque para “La espera (Margot)”, obra com influências de Degas e Touluse Lautrec.
Sala 8- Fase azul e rosa. Fase triste devido a influência da leitura de Baudelaire, Verlaine e Rimbaud. Retrata o mundo dos marginalizados.
Sala 10- Retorna um pouco ao estilo clássico devido ao contato com o Ballet Russo de Serguei Diaguiev. Em algumas obras desse período, vê-se um pouco do cubismo que já começa a aflorar em suas veias. Obra: La Dona amb Mantilla (lindo quadro de sua mulher Olga).
Sala 11- Inicia suas obras já com estudo do Cubismo.  Princpial obra: “Cavalo Corneado”. Quis mostrar a dor do cavalo que havia sido corneado por um touro, mas sem usar cores. Resultou em obra super expressiva que foi, posteriormente, usada em Guernica (cavalo que aparece em dor no quadro).
Sala B1- Retratos de Jaume Sabartes, amigo pessoal e secretário de Picasso. Foi o fundador do museu, e doou várias das obras ali expostas, junto com o próprio Picasso.
Sala B2- Cerâmicas de Picasso (por esse você não esperava, né? Eu também não!).
Sala 12- Obras do estudo q ele fez reinterpretando o quadro “As meninas” de Velazquez. Estudo de ritmo, cor e movimento, e metamorfose de todos os personagens da ideia que ele fazia do quadro. Mas há respeito a Velazquez no tratamento da luz, espaço e perspectiva.
Sala 13- Todos os estudos das meninas. Obras mais famosas do museu: “Las meninas”.
Sala 16- Los pichones. Pausa que deu no estudo de as meninas e pintou os pombos de sua sacada. Ele próprio considera essas obras parte de “Las meninas”.

 “The painter always paints himself”. Pablo Picasso.
Ufa! Depois de ver todas essas salas (ou antes), você pode querer fazer uma pausa para comer alguma coisinha. Lá do lado do museu, a dica que tinham nos passado era passar para comer tapas e beber uma cava no El xampanyet, mas ele estava fechado porque era mês de agosto. Então, fomos em um outro restaurante lá na frente que adoramos e recomendamos, o Tapeo.

Um lugar pequeno com um grande balcão e pequenas mesas na frente, e um espaço maior no fundo, atrás da cozinha (eu recomendo esperar um pouco a mais e sentar na parte da frente do restaurante).

Tapeo

restaurante em Barcelona

Para beber, nada melhor do que uma sangria de cava (o espumante espanhol, como é o Champagne para a França).

Para beber, croquetas de jamón, bombetas de la Barceloneta e mais alguns tapas, que fizeram a função do almoço.

IMG_0723

Sangria de cava

Sangria de Cava, perfeita para o verão.

Dica Barcelona

Bombeta de la Barceloneta, tapa clássico de Barcelona

IMG_0732

 

 

Museu Picasso
Carrer de Montcada, 15-23
Aberto das 9h as 19h. Fecha as segundas.
De quinta-feira, aberto até as 21:30, e gratuito das 19 as 21:30.
Tapeo
Carrer de Montcada, 29
 
El Xampanyet
Carrer de Montcada, 22

Vai viajar?
É preciso planejar!

Planeje sua viagem utilizando os serviços dos parceiros abaixo. Você não paga nada a mais
por isso, e ajuda o SV a continuar produzindo conteúdo de qualidade e gratuito. =)

Deixe seu comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curadoria de viagem

Receba uma vez por mês em seu e-mail nossas dicas cuidadosamente selecionadas e as novidades do mundo das viagens.