5 lugares fora das rotas turísticas que vão fazer você se apaixonar pela Romênia


Atualizado em:


“Oi, gente! Meu nome é Bruna e essa é minha primeira vez aqui no Segredos de Viagem. Eu escrevo todas as segundas-feiras para o Uma Boa Dose e hoje, vim falar sobre um tema que adoro: viajar.

A princípio, tinha pensado em escrever sobre como foi minha primeira experiência no Couchsurfing – cheia de medos e receios – e explicar porque, doze “surfadas” depois, considero essa maneira como a mais incrível de se viajar. Mas, quando percebi que na aba “ Europa” ainda não tinha textos sobre a Romênia, mudei totalmente os meus planos.

Agora que fazer intercâmbio é muito mais acessível, não é raro ouvir de um amigo que ele está indo fazer um mochilão no Leste Europeu. Raro mesmo é encontrar, entre os lugares que ele pretende visitar, a Romênia. Em geral, a rota clássica inclui Polônia, Croácia, Rússia, República Tcheca (quer dizer, Praga) e Hungria (na verdade, Budapeste). E, sempre que ouço a lista, me pergunto: por que as pessoas não visitam lá?

romenia

Morei pouco mais de dois meses na Transilvânia, em 2011. Já não me recordo com facilidade dos nomes das ruas, que eram tão familiares na época, nem das tantas palavras que aprendi e dos lugares que visitei, mas resolvi fazer uma lista com 5 lugares totalmente fora das rotas turísticas que explicam porque você deve incluir esse país na sua lista e porque você vai se apaixonar por ele, assim como aconteceu comigo.

1 – Salida Turda

Turda é uma pequena cidade no condado de Cluj, o coração da Transilvânia. Você consegue chegar nela facilmente pegando um ônibus ou mesmo carona, se estiver procurando uma viagem com mais aventura. A cidade, pequena e calorosa, abriga uma antiga mina de sal que agora é um museu debaixo da terra. Por mais calor que esteja do lado de fora, a temperatura no interior da mina sempre gira em torno dos 10oC, por isso, lembre-se de levar um casaco. No caminho, você encontra as estações de outrora ainda intocadas e preservadas, uma verdadeira viagem no tempo. O que você não espera – mesmo – é que, ao final de alguns andares, exista um elevador panorâmico que te leva para, acreditem, um parque de diversões subterrâneo! Todo construído em madeira e luzes rústicas, o parque inclui roda gigante, parede de escalada, campos de boliche e um pequeno lago onde você pode andar de barco com seus amigos.

2 – Băişoara

Essas montanhas, também no condado de Cluj, abrigam uma conhecida estação de esqui durante o inverno mas, no verão, que foi quando visitei o local, elas ficam abandonadas. Fui com alguns amigos para acampar, sem muita expectativa, e o que encontrei foi um cenário bucólico e encantador. Recebemos. ajuda dos trabalhadores das estações de esqui do inverno que acabaram se juntando à nós nas fogueiras e rodas de violão. É um lugar mágico, especialmente quando você está junto de pessoas especiais.

3 – Cetățuia de Cluj

Cluj-Napoca, a cidade em que morei, é uma das maiores e mais antigas da Romênia. O Cetățuia é como se fosse um mirante e era um dos meus lugares preferidos: lá de cima, você consegue ver todo o município e até mesmo entender um pouco da sua história. O mais legal é que, como Cluj não é uma cidade tão turística, o local raramente é invadido por uma multidão de pessoas. É bastante calmo, ótimo para tirar fotos, fazer pique-niques (diurnos e noturnos também), ou simplesmente para ouvir música e ficar sozinho com seus pensamentos.

4 – Montanhas de Predeal

Predeal foi a terceira cidade que conheci na Romênia. Esse vilarejo no meio das florestas coníferas da Romênia me pareceu ter saído de um conto de fadas. A cidade, assim como as montanhas em Băişoara, também abriga uma famosa estação de esqui no inverno, mas no verão o que encontrei foram montanhas verdes e floridas até onde meus olhos podiam ver. Detalhe: a viagem de trem até lá foi uma das mais bonitas que já fiz! Dá para ver, de relance, as florestas da Romênia, que merecem um capítulo a parte por sua beleza.

5 – Iulius Mall, em Cluj-Napoca

Sim, o quinto item da lista é um shopping. Mas por que um shopping? Bem, acredito que poucos lugares são tão ricos em informações sobre uma cultura quanto um shopping. A arquitetura do Iulius, as lojas de lá, os cinemas, as roupas nas vitrines e nas pessoas e, principalmente, a praça de alimentação me ensinaram bastante sobre a cultura romena. Claro que você não vai encontrar milhões de comidas típicas por lá, mas dá para comparar, por exemplo, as diferenças dos cardápios de grandes redes de fast food de lá com os nossos e entender porque elas existem.

Essa lista é pequena e não faz jus ao quanto fui feliz na Romênia. Além desses, existem muitos outros lugares – inclusive mais bonitos do que os que eu citei – para visitar. A melhor dica que eu posso te dar é: se perca. Se perca nas ruas antigas, como fiz quase todos os dias do meu intercâmbio, descobrindo novas rotas. Se perca e descubra bares escondidos, provando bebidas novas e comidas novas. Se perca e se misture aos locais, se misture tanto e de tal forma que, em pouco tempo, as pessoas te confundam com um nativo. Se perca e esforce para aprender o idioma, por mais difícil que seja. Se perca e, no caminho, faça novos amigos – amigos de um dia, de uma festa ou de uma vida inteira. Se perca e você, com certeza, vai se apaixonar, e vai voltar para casa com um coração metade brasileiro e metade romeno.

Pa pa!*

*Pa pa é uma maneira informal de dizer “tchau” em romeno”

E aí, gostaram do Segredos do Leitor da Bruna? A Romênia deve ser incrível mesmo e já está na nossa lista!

Vai viajar?
É preciso planejar!

Planeje sua viagem utilizando os serviços dos parceiros abaixo. Você não paga nada a mais
por isso, e ajuda o SV a continuar produzindo conteúdo de qualidade e gratuito. =)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curadoria de viagem

Receba uma vez por mês em seu e-mail nossas dicas cuidadosamente selecionadas e as novidades do mundo das viagens.