Dicas de Yosemite: guia completo com as principais dúvidas


Atualizado em:


Vou começar esse post com uma revelação: eu nunca tive muita vontade de ir pra Yosemite. Mas não me perguntem por quê. Meu único palpite é falta de informação, porque outro motivo não há. Se eu soubesse que o Parque Nacional de Yosemite era tão encantador, teria planejado ficar mais do que somente as duas noites que separei para essa parte da viagem. Se eu tivesse me atentado que uma das formações rochosas do parque tinha sido fundo de tela do meu macbook por anos, talvez eu prestasse mais atenção nesse destino na Califórnia e tivesse ido antes. Mas agradeço ao acaso que me fez ir até lá quase que sem querer, em um final de semana quando fui com meu namorado para o Vale do Silício a trabalho. Aproveito então para dividir com vocês todas as minhas dicas de Yosemite.

Casal em primeiro plano, de pé e em cima de uma mureta. No fundo, atrás dessa muretinha, há um lindo vale com árvores verdes e no fundo montanhas em diversos planos diferentes. No lado direito, na primeira montanha do primeiro plano, uma cachoeira está visível ao longe. O céu está azul e há uma luz de pôr do sol na foto.

Tunnel View, na luz de final de tarde. Um dos cartões postais do parque e ponto alto da viagem.

O Parque Nacional de Yosemite é uma grande região com cachoeiras, formações rochosas, sequóias, lagos, ursos e muito mais. Tudo isso com aquela estrutura boa americana, em um parque super bem preservado. Nesse post escreveremos todas as nossas dicas de Yosemite, mas se alguma dúvida ainda surgir, não deixe de nos perguntar na caixa de comentários. E também não deixe de ler nosso relato detalhado do nosso roteiro de 2 dias em Yosemite.

Nesse post você vai encontrar:

Onde fica e como chegar ao Parque Nacional de Yosemite?
Para quem é o Parque Nacional de Yosemite?
Vale a pena fazer um bate e volta até Yosemite, saindo de São Francisco ou San José?
Quantos dias ficar em Yosemite? 
Quando ir para Yosemite?
Onde ficar em Yosemite?
Como explorar e se locomover por lá
Outras dicas de Yosemite

Onde fica e como chegar ao Parque Nacional de Yosemite?

Yosemite Park fica na Califórnia, nos Estados Unidos. O parque é gigante, com uma área em torno de 3.000 km². Mas fique tranquilo porque as principais atrações e pontos de interesse estão em torno do Yosemite Valley, que será seu ponto de referência na hora de traçar o roteiro e escolher hospedagem.

Ta vendo a patinha de urso no mapa? Toda essa região é o Parque Nacional de Yosemite, e a patinha está na altura do Yosemite Valley, principal ponto de interesse por lá.

O Yosemite Valley está a 4 horas de carro de São Francisco e San José. Incluir uma visita ao parque pode ser uma boa adição ao seu roteiro pela Califórnia, principalmente se você já for passar por uma dessas duas cidades na sua roadtrip. Por falar em roadtrip, o carro é o melhor meio de transporte para chegar até os arredores do parque. Uma vez lá, você pode escolher usar seguir explorando de carro mesmo ou usar o transporte público (falaremos mais disso no tópico “Como explorar e se locomover“).

Há 5 entradas no parque: (1) Hetch Hetchy Entrance, (2) Big Oak Flat Entrance, (3) Arch Rock Entrance, (4) South Entrance e (5) Tioga Road Entrance. As entradas mais utilizadas pelos turistas de primeira viagem – ou até mesmo os que visitam pela segunda ou terceira vez – são a Big Oak Flat Entrance que está na Highway 120, a Arch Rock Entrance na Highway 140 (ambas são utilizadas por quem vem de São Francisco) e a South Entrance na Highway 41 (essa é a entrada de quem vem de Los Angeles ou San Diego).

Para quem é o Parque Nacional Yosemite? É para mim?

Pra qualquer pessoa que curta natureza e que queira ficar embasbacado com a sua grandiosidade. No meu primeiro dia de visita ao parque já fui recebida por um urso que estava passeando perto da estrada e fiquei em absoluto choque. Eu já sabia que existia essa possibilidade de ver um urso de pertinho, embora tivesse lido relatos de que chegar a ver um – de fato – era questão de muita sorte. Além do mais, eu jamais imaginaria que ele iria aparecer logo assim, sem avisos, no começo do passeio.

Que tal essa aparição logo na entrada do parque?

Mas vamos voltar assunto. O parque é muito bem estruturado para receber os visitantes. É adequado para famílias com crianças, tem passeios de modalidade fácil e pouca caminhada, e alguns com acesso para cadeirantes. E não se preocupe se você não curte fazer longas caminhadas, trilhas ou se você está preocupado que Yosemite possa ser aventureira demais para o seu estilo. Há diversos tipos de viagens possíveis dentro do parque, tanto para quem quer se aventurar ao máximo quanto para quem só quer contemplar. Na minha opinião, só de estar no Yosemite Valley, o miolinho mais “nobre” do parque, já valerá a viagem.

Vale a pena fazer um bate e volta de São Francisco ou San José para o Yosemite Park?

Hum… possível é, e eu vi muitos ônibus de excursões nesse esquema. Mas isso não quer dizer que seja recomendado. Eu, particularmente, não recomendo. Não recomendo porque você fica muito tempo na estrada (em torno de 4 horas, ou mais, por trecho) e porque acho que Yosemite, e você, merecem mais do que isso. Em um bate e volta você vai estar cansado, mal vai conseguir se conectar com a natureza e dificilmente vai estar no parque de manhãzinha ou no final da tarde, horários menos cheios e quando a luz do dia está linda e cria um clima todo diferente ao ambiente.

Quantos dias ficar em Yosemite então? 

Pelo menos, veja bem o que digo aqui – pelo menos- dois dias inteiros (três noites). Eu fiquei duas noites na região, mas deu um dia e meio de parque somente, e juro por tudo que achei pouco. Enquanto eu ainda estava lá ficava sofrendo porque ia acabar em breve. Além de que no segundo dia eu não consegui ficar despreocupada pois ficava pensando que ainda tínhamos 4 horas de estrada pela frente depois de passear pelo parque.

Parque Nacional de Yosemite, na Califórnia: é melhor conhecer com calma e tempo para contemplar

Por isso aconselho 3 noites para quem é um turista “normal” como eu, que quer fazer algumas trilhas fáceis e moderadas, visitar as principais cachoeiras, mirantes e pontos turísticos. Assim você consegue aproveitar dois dias inteiros sem preocupações, e conhecer o básico do parque (sem fazer trilhas mais intensas como a escalada do Half Dome).

Mas se você é uma dessas pessoas que curte esse tipo de viagem e quer ter um contato mais profundo com o parque e a natureza, pense em passar cinco ou mais noites (o limite é você quem define!). Ficar mais tempo te ajuda a conseguir se desconectar e relaxar, e a falta de sinal de celular só faz contribuir com essa missão. Pretendo voltar para Yosemite e ficar por um período mais longo da próxima vez. Não é exagero, lá realmente tem bastante coisa pra explorar, se você for durante o verão então, nem se fale!

Qual a melhor época para ir ao Parque Nacional de Yosemite? 

Cada época tem o seu charme e suas particularidades. Eu fui no meio de maio, em uma época ótima que é a primavera, quando o tempo está gostosinho (nem muito quente e nem muito frio), as cachoeiras estão super cheias após o degelo do inverno, e ainda não tem tanta gente como nas férias escolares em julho e agosto (mas já estava cheio e com filas de carros em alguns pontos! Falaremos disso mais pra frente).

Praticamente um banho na cachoeira véu da noiva (Bridalveil Falls) .

No verão, a maioria das atrações e estradas estão abertas, então você consegue aproveitar o parque ao máximo e até pegar uma praia de rio/ lago e nadar por lá. O lado negativo é esse mesmo que vocês imaginam: tudo está mais lotado, e por consequência os hotéis e acampamentos são mais concorridos, parar o carro perto dos pontos turísticos é bem mais difícil e em alguns casos você fica horas em filas de carros,  e, obviamente, vai ter muito mais gente do seu lado compartilhando um espacinho pelas melhores vistas (ou competindo, depende da educação de cada um).

No outono as cachoeiras estão secas, mas as folhas atingem tons variados oscilando entre verde, marrom, amarelo, laranja e vermelho (aquele charme do outono) e o parque já está menos cheio.

Mesmo sendo a época das chuvas e quando muitas estradas e mirantes fecham (assim como o tempo), coloquei na minha cabeça que tenho que conhecer Yosemite no inverno e ver aquela paisagem lindíssima cheia de neve, com um céu diferente e pesado, e uma vibe completamente diferente da que eu vivi em maio. De preferência ficando hospedada no conforto do The Majestic Yosemite Hotel.

Onde ficar em Yosemite?

Você pode se hospedar dentro do perímetro oficial do parque (1) ou em cidades próximas (2) como as mais conhecidas Mariposa e Groveland. Também há hotéis bem bacanas nas estradas (3) que levam para as entradas do parque, com opções na Highway 120 (Big Oak Flat Entrance), na Highway 140 (Arch Rock Entrance) e na Highway 41 (South Entrance). Vamos abordar resumidamente cada opção, com indicações de onde ficar em cada uma delas:

1- Hospedagem dentro do Parque Nacional de Yosemite

The Majestic Yosemite Hotel: o melhor lugar possível para se hospedar, onde ficam presidentes, celebridades e qualquer pessoa que possa pagar e seja organizada o suficiente para reservar com antecedência. Luxo no coração do Yosemite Valley.

Ainda volto para Yosemite e me hospedo aqui no The Maestic. Mas já que não rolou, conheci o restaurante do hotel na hora do almoço. =)

Yosemite Valley Lodge: ainda no coração do Yosemite Valley, mas com quartos mais simples (ainda que se mantenham caros, localização é tudo né?). Tão concorrido quanto qualquer hospedagem lá dentro. Alguns quartos tem vista para as cachoeiras. Uma ótima opção de bom custo x benefício para quem procura uma localização privilegiada.

Half Dome Village: o antigo “Curry Village” é como se fosse um glamping ou um acampamento muito bem estruturado (você não precisa levar nada, só ir). Oferece 3 opções de hospedagem: cabines de madeira com banheiro, cabines de madeira sem banheiro e tendas. Acho essa opção a cara dessa viagem, mas lota MUITO rápido.

Acampamentos: há vários campings espalhados pelo parque, sendo 13 os mais famosos. Desses 13 campings, 7 aceitam reservas que são abertas com 5 meses de antecedência, sempre no dia 15 as 7 am (horário local!). Veja aqui como realizar reservas e as datas.
Alguns outros campings disponibilizam vagas por ordem de chegada, mas na alta temporada essas vagas acabam num piscar de olhos, logo pela manhã. Cheque aqui quais acampamentos funcionam sem reserva, em cada período do ano.

O melhor é sempre se planejar com antecedência se você quiser ficar dentro do parque. Não conseguiu? Não tem problema, veja as dicas abaixo:

2- Cidades próximas ao Yosemite Park para se hospedar, com dicas de hotéis em cada uma

Mariposa é a maior cidade da região, e com mais opções de hospedagem. Fica um pouco mais longe do Yosemite Valley, em torno de 1:20h, mas há boa estrutura de hotéis, restaurantes e lojas. A entrada mais conveniente é pela Arch Road Entrance. Os hotéis mais fofos são: Mariposa Hotel Inn e o 5th Street Inn, mas lá também tem um Best Western Plus e um Quality Inn que são de redes bem conhecidas para quem prefere uma hospedagem mais padronizada.

Groveland-Big Oak Flat: Também fica a 1:20h do Yosemite Valley, e a entrada mais próxima é a Big Oak Flat Entrance. A cidade é bem menor, praticamente uma vila em torno de um trecho da estrada. Hospedagens B&B são predominantes, como o Hotel Charlotte (que foi onde nós ficamos e adoramos) e o The Groveland Hotel. O Iron Door Saloon (bar remanescente da época da corrida do ouro dos EUA) é destaque para quem quer curtir algo a noite.

Quarto do nosso Hotel Charlotte, estilo inn americano em Groveland.

Wawona: não é considerada uma cidade oficial, e sim uma “comunidade não-incorporada”.  Isso pouco importa pra nós turistas, rs, porque o fato é que é um vila dentro do parque e a 50 minutos do Valley e a 15 minutos do Mariposa Groove (bosque de sequóias mais famoso). é o lugar ideal para quem quer alugar um chalé inteiro para se hospedar , ou pegar um quarto em um chalé fofo como o Yosemite Cabin.

3- Hotéis nas estradas que levam ao parque Yosemite 

Rush Creek Lodge: fica em Buck Meadows, pertinho da entrada Big Oak Flat, na Highway 120 . É um super hotel, que inaugurou em 2016 e tem estrutura para todos os tipos de pessoas, desde famílias, casais e pessoas com deficiência física ou visual. Tem piscina, restaurante, sala de jogos, hidromassagem, no melhor estilo resort, mas ainda com personalidade. Uma excelente escolha.

Tenaya Lodge: fica em Fish Camp, pertinho da south Entrance, na Highway 41. Tem características semelhantes ao Rush Creek, como piscina e atividades de lazer, mas não é tão novo como a primeira opção e nem tão acessível para quem tem mobilidade reduzida.

Yosemite Bug Rustic Mountain Resort: em Midpines na Highway 140. Coloco essa opção aqui porque achei ela super democrática. Diferente das duas opções anteriores, o Bug Rustic Mountain oferece vários tipos de hospedagem: quarto privativo, quarto com banheiro compartilhado, quartos compartilhados (no melhor estilo de hostel, em pleno parque Yosemite) e até tendas que são tipo barracas  de acampar, mas mais luxuosas . Ache super válida a dica.

Highland House B&B: também achei nas minhas pesquisa e parece fofo demais, bem acolhedor, mas no meio do nada. Quer paz e sossego no meio do parque? Pode ser uma boa opção. Veja o que acha.

Como explorar e se locomover em Yosemite?

O jeito mais conveniente de chegar no parque e nas atrações mais distantes do Yosemite Valley é usando o carro. Há estacionamentos na frente das atrações mais distantes, que estão indicados no mapa que você receberá na entrada do parque.

Por exemplo, na frente dos bosques de sequóias como o Mariposa Groove, Touloumne Groove e Merced Groove, há estacionamento. Isso também acontece com os mirantes do Tunnel View, e do Glacier Point. Mas, preste muita atenção a essa dica! Os estacionamentos podem lotar e você pode ter que ficar esperando um rodízio de carros. Isso geralmente acontece no Glacier Point, então chegue antes das 10h ou depois das 17h para não perder esse tempo precioso dentro do carro. E confira também a quantidade de vagas de estacionamento e a popularidade da atração que deseja visitar.

Há outros meios de transporte possíveis, veja abaixo:

Free shuttle em Yosemite. Pontos de paradas numerados e filas nos horários de pico. Ainda assim, o melhor jeito de explorar dentro do vale.

Transporte dentro do Yosemite Valley: uma vez chegando no “coração do parque”, a melhor pedida é parar o carro em um dos estacionamentos e utilizar o shuttle gratuito (ônibus). Esse shuttle faz uma rota fixa e circular pelos principais pontos do Yosemite Valley. Os pontos de paradas são numerados, e sim, há filas e lotações nos horários e meses de pico. Mas mesmo assim, esse é o jeito mais prático e eficiente de explorar esse “miolo principal”.

Ônibus YARTS (Yosemite Area Regional Transportation System): há um ônibus regional que conecta o parque com as principais cidades da região. O valor da tarifa depende de onde você embarca e desembarca, e se compra um ticket único ou ida e volta. É bem conveniente para quem não quer depender do carro, já que ele também tem paradas bem estratégicas. Indo com o ônibus YARTS, você não precisa pagar a entrada do parque. Veja aqui mais informações, em inglês.

Outros detalhes importantes para saber antes de viajar para Yosemite

-A entrada do parque é paga e custa U$35 por carro, U$30 por moto ou U$20 por pessoa, mas te dá direito a entrar por uma semana e quantas vezes quiser nesse período (valores praticados desde junho de 2018). Quem mora lá por perto ou pretende voltar mais do que duas ou três vezes pode comprar o passe anual de U$70. Fonte: site oficial.

Fila de carros alinhados em portarias para entrar no Parque Nacional de Yosemite.

Uma das entradas de Yosemite, em Big Oak Flat. Tente sempre chegar cedo para evitar filas.

-Abasteça antes, pois quanto mais perto do parque mais cara é a gasolina, e lá dentro não há postos. Fora que podem surgir imprevistos como nós vimos, em que o último posto antes do parque pelo acesso via Big Oak Flat estava sem combustível disponível no primeiro dia que passamos por lá! Por isso a melhor dica é entrar no parque com o tanque cheio.

Não confie na previsão do tempo do iphone. Graças a uma seguidora que viu minha aflição nos stories do instagram que eu descobri que a previsão que o celular mostrava era diferente do tempo real. O aplicativo me dava uma temperatura na casa dos 2 graus celsius quando na verdade estava quase 20 graus no parque. Isso porque o parque é grande e a temperatura oscila bastante de acordo com o lugar que você vai. Procure por uma fonte mais confiável e oficial, como essa daqui. Ou olhe no instagram as fotos recentes de quem está lá e das roupas que estão vestindo…. parece uma dica bizarra, mas funciona. Rs.

Aproveite para se desconectar

-Como já disse antes, saiba que você estará sem sinal de celular por lá, e, honestamente, aproveite essa oportunidade forçada para se desconectar por alguns dias (e fique tranquilo porque geralmente há wi-fi nos hotéis e até em alguns acampamentos).

-Embora não seja obrigatório para visitar os Estados Unidos, recomendo que você faça um seguro-viagem antes de ir (isso para qualquer destino ta?). A gente espera nunca precisar usar, mas se precisarmos é muito melhor ter do que se arrepender. Vale a pena comparar planos de seguro viagem e ver qual é o mais adequado para o nível de aventureiro que você é. Nós já usamos e recomendamos a Real Seguro Viagem, que é tipo um booking dos seguros.

-Ah, e claro. Não alimente os ursos! =P

No mais, aproveite esse parque incrível. Tenho certeza que não se arrependerá de ter escolhido viajar para Yosemite nas suas férias. E garanto que a câmera não consegue captar nem 1% da beleza e grandiosidade desse lugar. Você vai ver.

Vai viajar?
É preciso planejar!

Planeje sua viagem utilizando os serviços dos parceiros abaixo. Você não paga nada a mais
por isso, e ajuda o SV a continuar produzindo conteúdo de qualidade e gratuito. =)

Deixe seu comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curadoria de viagem

Receba uma vez por mês em seu e-mail nossas dicas cuidadosamente selecionadas e as novidades do mundo das viagens.