O que fazer em Manchester, na Inglaterra


Atualizado em:


A primeira vista parece que não há muito o que fazer em Manchester. Mas é só chegar lá para encontrar uma infinidade de atrações interessantes, bons restaurantes, museus, e outros passeios. Confira nesse post dicas do que você não pode deixar de fazer em Manchester e aproveite sua viagem!

-Manchester: um contexto histórico
-Quantos dias ficar em Manchester
-O que fazer em Manchester: dicas do que visitar
-A Manchester do futebol

Sede da prefeitura, o Town Hall é o prédio mais fotografado de Manchester

Manchester, um contexto histórico

Hoje muito famosa mundialmente por seus dois times de futebol, o City e o United, Manchester já foi muito festejada por outro motivo. Aliás, vários outros motivos. Talvez o principal seja a sua importância como um dos motores da Revolução Industrial no começo do século 19. A cidade abrigava um sem-fim de tecelagens de algodão e que foram as primeiras a serem impulsionadas pelo advento das máquinas a vapor. Chegou a ganhar o apelido de Cottonopolis, mas esse boom durou até meados do século passado, quando houve um declínio natural da indústria na região.

Principal cidade do noroeste da Inglaterra, fica a 336 quilômetros de Londres – são só duas horas de trem. Os vestígios de ocupação da região remontam à Idade do Bronze (3.000 a.C  – 1.200 a.C), mas os romanos certamente transformaram muito a região a partir de 79 d.C.. A construção do Forte de Mamucium marca o início do período romano, com uma série de fortificações que não resistiram ao tempo. Porém, muitas lindas construções multicentenárias ainda fazem de Manchester uma candidata a Cidade Patrimônio pela Unesco.

Museu d Ciência e Indústria, entendendo o passado e presente de Manchester

Nos dias de hoje, Manchester tem a segunda região metropolitana mais populosa do Reino Unido, com 2,6 milhões de habitantes. Porém o clima no centro é de uma cidade de médio porte. Nada de trânsito, apenas calçadas um pouco mais cheias na hora do rush. A arquitetura moderna de muitos prédios do centro dialoga muito com um estilo contemporâneo da população, mas também orna com o passado e cria em Manchester uma atmosfera progressista. 

Quantos dias ficar em Manchester?

Fiquei dois dias e achei ideal, por isso sugiro que você disponibilize 3 noites em Manchester, para ter dois dias inteiros para aproveitar a cidade, seus restaurantes, museus e bibliotecas, e também conseguir visitar os estádios de futebol (e quem sabe não estar lá em um dia de jogo?). Se quiser aproveitar a viagem e visitar outras cidades lá por perto, como Liverpool ou York, separe mais noites.

O que fazer em Manchester? Dicas do que visitar

Vamos começar com uma lista de atrações turísticas clássicas como museus e catedrais. São pontos imperdíveis para todo o turista que quer conhecer as principais atrações de Manchester. Mas, se o seu interesse for conhecer a Manchester do futebol, fizemos todo um guia para esse assunto. Vá para o final do post que não irá se arrepender.

-Catedral Anglicana

A Catedral tem dimensões pequenas, mas é muito elegante

A Catedral Anglicana, cuja construção começou em 1421 e só terminou em 1882 é um charme só. Pequenina e repleta de vitrais delicados, chega a parecer uma capela perto de outras catedrais europeias. O órgão é um dos mais bem preservados que eu já vi e ajuda o estilo medieval da catedral a ser realmente cativante. Apresentações do coral e de pequenas orquestras de câmara ocorrem diariamente. Confira os horários no site da Catedral.

O imponente interior da catedral

-Town Hall

Assim como a Catedral, o prédio da prefeitura – Town Hall – também é deslumbrante e seu estilo vitoriano atrai muita atenção de quem passa pelo Albert Square, no centro. O estilo neogótico do edifício concluído em 1877 lembra o do Parlamento Inglês, em Londres. E dá até para ousar, dizendo que lembra o Big Ben. Normalmente é possível visitar por dentro, mas devido a uma reforma – que deve durar mais três anos – as visitas estão suspensas. Mesmo assim, só de olhar de fora já é um colírio para os olhos.

-Museu da Ciência e Indústria (Science and Industry Museum)

Eu não poderia imaginar que adoraria tanto o Museu de Ciência e Indústria, ou melhor, o Science and Industry Museum. Mas em pleno berço da Revolução Industrial, a cidade conseguiu representar numa antiga fábrica de trilhos e numa estação de passageiros de 1830 toda a força dessa indústria há quase 200 anos.

Museu da Ciência e Indústria é parada obrigatória para entender a cidade. E é de graça!

É muito impressionante ver e compreender o funcionamento de todo o maquinário que fez de Manchester o motor desse evento tão crucial na História para nos tornarmos a civilização que aqui está. Muitas atividades interativas, além de exposições temporárias explicam um bocado de física, química e matemática a crianças de todas as idades. Eu parecia um boboca apertando botões, fazendo tranças com cordas e operando outros experimentos. 

-Air + Space Hall

Air + Space Hall concentra altos aviões e barcos. A má notícia é que, atualmente, está temporariamente fechado para reforma

Se eu não tivesse visto um cartaz chamando para um simulador de voo, eu não teria ficado sabendo dessa parte do museu. Do outro lado da Liverpool Street, o Air + Space Hall reúne aeronaves e algumas embarcações históricas. Muitos maquinários inventados em Manchester e também réplicas, como a do Avro, o primeiro triplano, de 1909. Tem um simulador de voo incrível, que você pode pilotar em giros de até 360 graus. Se não quiser gastar 10 libras para brincar por 6 minutos no brinquedo, só ficar do lado de fora dando risada da cara dos dois “pilotos” lá dentro já é super divertido.

-The Whitworth e HOME

HOME é um dos novos centros de cultura de Manchester.

Após passar por uma reforma de 15 milhões de libras, o elegante museu de arte moderna The Whitworth reabriu as portas em 2018. Com uma arquitetura moderna e repleta de vidros, dialoga muito bem com o parque homônimo, no qual está construído. Claro que como todo museu antigo preserva ótimas referências de sua construção original, em 1889. Se tiver tempo, dê uma checada na programação do HOME, um novo centro cultural que custou 30 milhões de libras com galerias de arte, teatros, cinema e restaurante

-Bibliotecas de Manchester

Central Library é uma das preciosas bibliotecas de Manchester

Um local me contou que os moradores de Manchester têm uma cultura de frequentar bibliotecas até hoje, mesmo em tempos digitais. Algumas das maiores coleções do Reino Unido de obras raras se encontram na Chetham’s Library, bem pertinho da Catedral. Outra biblioteca bem movimentada é a Central Library, do ladinho do hotel onde fiquei, o The Midland, que vale pela hospedagem ou só pelo jantar no restaurante The French, do chef Adam Reid, um dos mais premiados da cidade.

A Manchester do futebol

De todas as cidades onde fui na Inglaterra, Manchester é a que mais respira futebol. As cores dos clubes, vermelho e branco do Manchester United, e azul e branco do Manchester City, estão por todas as partes. Mesmo que não consiga ingressos para assistir a um jogo ao vivo, só de ver num pub lotado de torcedores já vale muito a pena. Veja se haverá jogo em algum dia da sua viagem. Mas, mesmo se não tiver, você pode ir aos estádios dos times embarcar em ótimas visitas guiadas.

-National Football Museum

Antes disso, porém,  eu recomendo uma parada de algumas horas no centro da cidade. O National Football Museum é um santuário repleto de histórias e uma infinidade de objetos históricos. Recomendo o tour guiado dado por voluntários como o divertido Allan Maull, há 4 anos ali e o primeiro voluntário de um exército de quase 80 atualmente. 

O Museu do Futebol é uma baita atração de Manchester

É o máximo ver de perto uma das bolas que o paulista Charles Miller trouxe para o Brasil e inaugurou nossa saga futebolística. Ou então a camisa da seleção argentina com a qual Diego Maradona fez seu gol de mão, o famoso La Mano de Dios, na Copa de 1986. Se você for corajoso e apaixonado mesmo, saiba que há itens autografados na lojinha, como uma camisa da Copa de 70 assinada pelo Pelé por “apenas” 500 libras (R$ 2.400).

-Old Trafford, estádio do Manchester United

Infelizmente não consegui visitar o Old Trafford, estádio do Manchester United, mas você pode ir lá, claro. As visitas simples custam 25 libras, mas eles têm o Legends Tours, um roteiro parecido, só que na companhia de um ex-jogador do clube, com várias histórias de bastidores e conquistas  (140 libras).

-Etihad Stadium, estádio do Manchester City

Se por um lado não consegui visitar o estádio do Manchester, por outro, a visita de 1h30 pelo Etihad Stadium (17,50 libras ou R$84 no site) me surpreendeu.

O Etihad Stadium é a casa do Manchester City e tem várias visitas diárias

Tudo começa na megastore oficial, onde encontramos o guia Paul Davies, um apaixonado pelo time desde pequeno e que nos levou pelas arquibancadas até chegar ao vestiário. Em formato circular, a sala recém inaugurada permite que todos os jogadores se olhem nos olhos. Sentei no lugar do volante Fernandinho pra assistir a um baita vídeo motivacional. E depois? Hora de entrar em campo!

Com capacidade para 55 mil espectadores, mesmo vazias as arquibancadas arrepiam. Dá um friozão na barriga adentrar o gramado pelo mesmo túnel que os jogadores, é fácil imaginar tudo aquilo cheio de gente gritando. Dá até pra sentar no banco do Pep Guardiola, o treinador do time. Depois, é até possível brincar de dar entrevista na sala de imprensa como se fosse jogador do time.

Etihad Stadium, em Manchester, na Inglaterra

Compartilho uma coisa surreal que aconteceu comigo, puro golpe de sorte. Durante a visita tirei uma foto com um Pep Guardiola de papelão, no vestiário. Algumas horas depois fomos jantar no novo restaurante Tast do qual ele é sócio. E demos a sorte de encontrá-lo por lá. E de quebra, o volante Fernandinho jantando na mesa ao lado. Foi muito surreal e coroou dois ótimos dias em Manchester.


Se você vai para a Inglaterra, não deixe de conferir também os nossos posts de Londres.

Vai viajar?
É preciso planejar!

Planeje sua viagem utilizando os serviços dos parceiros abaixo. Você não paga nada a mais por isso, e ajuda o SV a continuar produzindo conteúdo de qualidade e gratuito. =)

Curadoria de viagem

Receba uma vez por mês em seu e-mail nossas dicas cuidadosamente selecionadas e as novidades do mundo das viagens.

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *