Onde comer paella em Madri- El Serete


Atualizado em:


ATUALIZAÇÃO (24/01/2015): um amigo visitou a arroceria na última semana e ficou extremamente desapontado. Apesar de ainda manter o mesmo nome e aparência, o casal de espanhóis a vendeu para um grupo chinês, e a qualidade da comida parece que caiu drasticamente. 

Não removeremos o post pela lembrança de um lugar que um dia foi autêntico, mas que acabou perdendo sua essência.


ATUALIZAÇÃO (04/04/2015): os antigos donos do restaurante entraram em contato com a redação e, mesmo não estando mais na direção do restaurante, pediram desculpas pelo acontecido. O negócio era familiar e foi vendido para que o casal pudesse se aposentar. Percebe-se a relação afetiva que tinham com o estabelecimento, ao se importarem até hoje com a reputação do lugar, e a lástima de ter sido vendido e por fim, fechado. 


ATUALIZAÇÃO (19/02/2018): o restaurante encontra-se permanentemente fechado. =/
Para encontrar boas paellas, procure por lugares autênticos, em zonas não turísticas e com espanhóis cozinhando. Essa é a dica que os antigos proprietários nos deram. 


Post original

Existem alguns pratos típicos de determinados países que ganham uma fama tão grande que acabam banalizados e se transformam em armadilhas pega-turista. Na Espanha, o maios exemplo disso é a paella, aquele arroz amarelo servido em um tacho com muitos frutos do mar (e às vezes coelho ou frango).

Originalmente diz-se que a paella originou-se na cidade de Valencia, onde era feita com frutos do mar, peixe, coelho E frango. Minha primeira paella originalmente espanhola foi degustada lá e, pra minha surpresa, era horrível! Eu já estava acostumada às deliciosas e suculentas paellas que meu pai faz todo ano na praia, cheia de camarões e lulas, com um arroz bem amarelinho de açafrão e ervilhas aos montes. Então quando vi aquele arroz meio marrom, com carnes estranhas misturadas, e um sabor meio xoxo de mexidão, não é de se estranhar que eu não tenha gostado.

Essa experiência provou que nós, os não-espanhóis, não gostamos das paellas verdadeiras, e por isso a indústria no turismo nas grandes cidades fez o favor de distribuir por todos os restaurantes em rotas turísticas aquelas paellas pré-prontas horrorosas que TODO turista come. E que são super fajutas e sem gosto, mas são bonitas pra fotos. Elas estão em qualquer cafeteria na Gran Via em Madri, ou nas Ramblas em Barcelona, em cartazes lindos e coloridos, a preços justos. Mas não se engane! Essa não é a paella de verdade.

A paella de verdade é vendida em lugares muito específicos: as “arrocerías“, restaurantes especializados em arroz de vários tipos, sendo os mais famosos o arroz negro (com tinta de lula) e o arroz de mariscos (a paella que estamos acostumados a comer). E quanto mais tradicional a arrocería, melhor será, pois o sabor será mais autêntico.

O EL SERETE é uma arrocería super antiga, comandada por um casal de senhores madrilenhos (ele cozinha, ela serve) que ama o que faz, e adora servir bons arrozes. O lugar é simples e em uma rua meio erma, mas que dá pra chegar caminhando da Gran Via. Mas não se engane pelas aparências pois os arrozes são encorpados e cheios de frutos do mar (e o preço não é dos mais camaradas, mas vale).

paella em madri

Fachada do restaurante

paella em madri

O ambiente simples e acolhedor do restaurante

paella em madri

Decoração antiga e tradicional

paella em madri

Poucas mesas

paella em madri

Aperitivo típico

Escolhemos o que gostamos, um arroz del pescador, com camarões. Lá a mesa toda tem que pedir a mesma coisa pois, apesar do preço ser por pessoa, eles elaboram o tacho com a quantidade de acordo com quantas pessoas forem comer.

O arroz é al dente e  super saboroso, e tem aquela crostinha queimada nas bordas pois o segredo espanhol é colocar o tacho no forno bem quente depois que o arroz está pronto, e vem cheio de frutos do mar (no nosso caso, além dos pequenos, vieram dois camarões grandes pra cada um). Comemos até não sobrar nada!

paella em madri

Nosso arroz com camarões pra 3 pessoas

paella em madri

Então se quiser comer a autêntica paella, saia das ruas principais e procure uma verdadeira e tradicional arrocería, como essa que nós fomos por indicação de um amigo que mora em Madri, e peça um arroz com mariscos!

El Serete: Calle de Leganitos, 26

Vai viajar?
É preciso planejar!

Planeje sua viagem utilizando os serviços dos parceiros abaixo. Você não paga nada a mais por isso, e ajuda o SV a continuar produzindo conteúdo de qualidade e gratuito. =)

Curadoria de viagem

Receba uma vez por mês em seu e-mail nossas dicas cuidadosamente selecionadas e as novidades do mundo das viagens.

Deixe seu comentário

  • Super legal a dica. Vou com meu marido agora em
    Novembro para Madrid e gostaria de saber… Quanto gasto em media para comer direito, sem grandes luxos?!
    Esse restaurante, por exemplo!

    • oi Lívia,
      Este restaurante, particularmente, foi vendido a um grupo Chines (conforme escrevermos na atualização do post) então já não sabemos mais de preços e da qualidade da comida. Mas em geral você consegue encontrar restaurantes para comer por uns 10 Euros, sem grandes luxos.
      Muitos tem o “menu del medio dia” que é tipo um combinado do almoço. Prato, bebida e sobremesa. Dependendo da região e restaurante, esse menu vai de 8 a 20 Euros.

    • Oi Diego,
      Infelizmente nao conseguimos buscar outra! Mas a sugestao e procurar algo que nao seja no miolo turistao, como por exemplo a Plaza Mayor e Sol. Tente andar ao redor desses lugares so que em ruas menores, talvez voce de sorte! Assim que conseguirmos achar outra arroceria tao boa quanto, nos informaremos aqui!
      Boa viagem! E conta pra gente se encontrar algo legal!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

EnglishPortuguese