Cidades Incríveis: Melbourne – a melhor cidade do mundo para se viver fica na Austrália


Atualizado em:


Este é o sexto post da série “Cidades incríveis”. A série vai falar sobre 10 cidades que não costumam estar na rota dos turistas em geral, mas que merecem a sua visita por ter algum elemento que a faz extremamente especial!

______________________________________________

História

Existe algo de especial em cidades costeiras, especialmente aquelas em baías (como Rio de Janeiro e São Francisco), e Melbourne também tem esse charme. A capital do estado Australiano de Victória está localizada na Baía de Port Phillip e é relativamente grande, com mais de 4 milhões de habitantes.

A cidade cresceu muito no século XIX, devido à corrida do ouro que aconteceu no estado de Victoria, atraindo pessoas de diversas regiões que buscavam oportunidades nas minas recém descobertas por ali. A partir daí as cidades foram se formando e viram suas populações se multiplicarem. Uma nova onda de imigração aconteceu depois da segunda guerra mundial, quando europeus do leste e mediterrâneo fugiram para as areias quentes da Austrália.

A bela cidade de Melbourne (foto: calicultural.com.br)

A bela cidade de Melbourne (foto: calicultural.com.br)

Hoje, a cidade é exemplo de desenvolvimento e qualidade de vida, mas nem por isso deixa de ter seus problemas. Um dos principais pontos que ainda não foram resolvidos, é a questão do trânsito para os subúrbios. É que esse desenvolvimento todo de Melbourne fez com que os preços dos imóveis na região mais central da cidade ficassem altíssimos. Isso tem dois efeitos: a prosperidade econômica atrai gente de fora para a cidade, mas os preços altos espantam os moradores para os subúrbios, ou seja, há um número altíssimo de pessoas que se deslocam diariamente para o centro da cidade de carro, gerando trânsito e insatisfação.

Mas esses problemas não apagam o fato da cidade ser super descolada, jovem e colorida

Por quê Melbourne é incrível

O título de “melhor cidade para se viver” veio da revista The Economist pela quinta vez consecutiva devido ao seu altíssimo grau de desenvolvimento, infra-estrutura e cultura. Prédios da época da colonização britânica criam o cenário de cafés descolados e restaurantes que figuram na lista dos melhores do mundo. Tudo isso em um clima quente ameno, seguro e à beira do mar. Que tal?

É a cidade perfeita para os amantes dos “segredos” de viagens explorarem! Seu centro é propício para andar (a melhor forma de se conhecer um lugar, na nossa opinião), e conta com um serviço de transporte público que serve bem as principais regiões. Há muitos museus, jardins, restaurantes e belíssimos prédios de períodos arquitetônicos diversos. Basta você escolher seu interesse, e explorar!

Informações Úteis

Principais atrações

  • Central Business District (CBD): Principal região da Melbourne central, e onde estão algumas das maiores atrações turísticas da cidade.

 

O CBD iluminado na paisagem de Melbourne. (Foto: acumen.edu.au)

O CBD iluminado na paisagem de Melbourne. (Foto: acumen.edu.au)

  • Queen Victoria Market: Localizado no CBD, este mercado existe há mais de 100 anos e é o maior do hemisfério sul. Um lugar vibrante que, mais do que compras, oferece um verdadeiro passeio!

 

Foto: site oficial Queen Victoria Market

Uma das áreas do mercado, sempre lotado! (Foto: site oficial Queen Victoria Market)

  • Parques/Jardins: Os jardins são um “must see” de Melbourne. São lindíssimos e super fotogênicos, além de serem lugares tradicionais para os moradores da cidade relaxarem. Alguns exemplos são o Birrarung Marr; Royal Botanic Gardens; Fitzroy Gardens; Flagstaff Gardens.

 

O conservatório do Ftizroy Gardens (Foto: Melbourne Daily Blog)

O conservatório do Ftizroy Gardens (Foto: Melbourne Daily Blog)

  • Federation Square: No CBD também está esta área pública, construída acima dos trilhos de trem da cidade. Lá você verá a praça principal (The Square), onde fica a St. Paul’s Cathedral e onde acontecem os principais eventos públicos da cidade. A praça  é moderna e também conta com o Atrium, espaço fechado de eventos, e o Center for the Moving Image, uma espécie de museu multimídia.

 

A federation square vista de cima com a St. Paul's Cathedral ao fundo (foto: National Gallery of Victoria)

A federation square vista de cima com a St. Paul’s Cathedral ao fundo (foto: National Gallery of Victoria)

  • Hosier Lane e outras Vielas: As vielas (lanes) de Melbourne estão no CBD e datam do século XIX e são tão importantes que viraram um marco cultural da cidade. Lembra que falamos que Melbourne tem que ser explorada a pé? Justamente por causa das “lanes”. A Hosier Lane é a mais famosa por causa de seus graffittis e por ser uma via exclusiva de pedestres. Além dela, destacamos a “Ac/DC Lane” para os amantes do rock, e a “Causeway Lane” que fica na região das lojas de Melbourne.

 

Foto: Wikimedia Commons, by TigTab from Melbourne, Australia (Shepard Fairey in Hosier)

O Holsier Lane, com seus Grafittis. ( Foto: Wikimedia Commons, by TigTab)

  • Melbourne Museum: Além de estar localizado em um cenário lindo, que são os Carlton Gardens, esse museu tem uma arquitetura futurista e foca nas ciências naturais.

 

Foto: Wikimedia Commons

A arquitetura futurista do Melbourne Museum (Foto: Wikimedia Commons)

  • Gastronomia: Escolher os melhores restaurantes de Melbourne é como escolher em São Paulo! São tantas boas opções que varia muito do gosto e do bolso de cada um. Mas a questão é que Melbourne tem um dos melhores cafés do mundo, e uma gastronomia super reconhecida. Você tem algum pra recomendar pra gente?

 

Na Collins Street você encontra vários pequenos cafés, uma das especialidades de Melbourne (Foto: pickawall.com.au)

Na Collins Street você encontra vários pequenos cafés, uma das especialidades de Melbourne (Foto: pickawall.com.au)

Como ir e quantos dias ficar

Como a segunda maior cidade da Austrália, Melbourne tem atrações, praias e restaurantes que nem um mês seria suficiente para conhecer, mas achamos que em uma semana dá pra conhecer bem o principal da cidade. Mas não se engane, os invernos por lá podem ser bem frios e as temperaturas podem chegar perto de 5 graus celcius. O inverno deles é como o nosso: em Junho, Julho e Agosto. Por isso programe-se para otimizar a sua estadia e conseguir ver tudo!

A Austrália fica bem longe do Brasil e os vôos pra lá são notoriamente longe. Geralmente as principais companhias aéreas fazem vôos com escala na Argentina, nos Emirados Árabes ou no Qatar.

Onde se hospedar

Se você for ficar pouco tempo, é melhor se hospedar no CBD para ter acesso mais fácil a tudo. No entanto, hoteis la podem ser mais caros, devido à localização. Mas se quiser abrir um pouco o leque da escolha, procure por hotéis em South Bank, na região da Universidade de Melbourne, ou bairros ao redor do CBD.

Aqui no booking você consegue ver todas as opções com preços e disponibilidade atualizados, e sem pagar mais por isso!

__________________________________

Para saber mais: 

A Lucia Malla já foi pra Melbourne e publicou um post bem legal e honesto sobre a cidade.  Clique aqui para ler!

__________________________________

E aí, gostou de conhecer essa cidade incrível?

Continue nos acompanhando que semana que vem tem mais uma cidade incrível pra você conhecer através das páginas do Segredos de Viagem!

Saiba mais sobre a série CIDADES INCRÍVEIS aqui!

Cidades Incríveis LOGO

Vai viajar?
É preciso planejar!

Planeje sua viagem utilizando os serviços dos parceiros abaixo. Você não paga nada a mais
por isso, e ajuda o SV a continuar produzindo conteúdo de qualidade e gratuito. =)

Deixe seu comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curadoria de viagem

Receba uma vez por mês em seu e-mail nossas dicas cuidadosamente selecionadas e as novidades do mundo das viagens.