O que fazer na Serra Gaúcha: 10 experiências fora do comum


Atualizado em:


No que você pensa quando imagina uma viagem para uma região de vinícolas? Casais de meia idade em um passeio romântico? Especialistas em vinho aproveitando para ver de perto como são fabricados rótulos famosos? Pois saiba que bem aqui no sul do Brasil é possível abraçar esses estereótipos, mas também quebrá-los com experiências super diferentes! Confira aqui o que fazer na Serra Gaúcha para fugir do comum.

Como já contamos em vários posts aqui no blog e no Instagram, eu e Marcella viajamos para a Serra Gaúcha em janeiro e passamos cinco dias conhecendo a Rota Uva e Vinho, que engloba a região do Vale dos Vinhedos. Lá nos divertimos horrores com degustações maravilhosas, mas descobrimos também que é possível ir muito além disso, porque as vinícolas da região oferecem uma variedade de atividades mega divertidas e super fora do comum, que vão de piqueniques à famosa pisa das uvas, passando por colheita, degustação e até cinema!

O que fazer na Serra Gaúcha, dicas que vão além do óbvio! 

Muitos dos passeios diferentes ainda estão relacionados à vitivinicultura, como a pisa e a colheita. Mas além desses programas, há outras atividades diferentes que vão te surpreender. Vale destacar que não falaremos sobre os tours nas vinícolas nesse post. Se esse for o assunto de seu interesse, sugiro ler esse post: “Vinícolas do Vale dos Vinhedos“. Enfim, confira nossas dicas de passeios diferentes na Serra Gaúcha:

1- Pisa das uvas (Miolo)

Pisa das uvas Serra Gaucha

O momento mais esperado da viagem: a pisa das uvas na vinícola Miolo.

Fazer a pisa das uvas sempre foi um sonho meu, que eu sequer sabia que era possível de se realizar. Claro que já há muito tempo não se usa o método para amassar as uvas e produzir o vinho, mas a experiência é possível para turistas que visitam a vinícola Miolo no período da Vindima.

Pisa das Uvas no Brasil

Pisando em uvas!

Lá na Miolo, depois de conhecer os vinhedos, o visitante pode pisar nas uvas em uma pequena tina ao som de músicas tradicionais italianas. Ainda que a experiência seja fabricada completamente com foco no turista, ela é super divertida e até terapêutica!

Se você quiser saber mais, temos um post completinho onde contamos tudo sobre a experiência da Vindima na vinícola Miolo.

2- Colheita Experience (Luiz Argenta)

Inesperadamente, esse foi meu passeio preferido durante a viagem na Serra Gaúcha. Quem visita a vinícola Luiz Argenta na época da Vindima pode ter uma experiência super completa, na qual além de visitar os vinhedos e ver as uvas de pertinho, você pode também colhê-las! E te garanto, é muito mais divertido do que parece.

Chegando na vinícola, os visitantes que optarem por fazer a Colheita Experience embarcam em um caminhão 6×6, que parece com um carro usado em safári. Ele nos leva para um passeio em meio aos vinhedos, que têm nomes de pessoas famosas – uma diversão à parte.

Colheita na Vinícola Luiz Argenta

Diversão já na saída para a colheita.

O que fazer na Serra Gaúcha

O carro era ainda mais legal por dentro.

Em um ponto mais alto e afastado da sede, desembarcamos, recebemos uma tesoura e ficamos liberados para cortar os cachos das parreiras. Gente, juro para vocês que é super legal! Depois de encher as caixas com as uvas, todos voltam para o caminhão, que para logo depois em um lugar com uma vista de tirar o fôlego.

Colheita das uvas sul do Brasil

Cortando umas uvinhas pra encher a caixa.

Grupo de viagem

Parada para foto do grupo. =)

A Colheita Experience acontece em todos os sábados de fevereiro, das 9h30 às 16h30 e é preciso agendar com antecedência. Quem vai em agosto também pode ter uma experiência parecida com a Poda Experience, que funciona nos mesmos moldes, mas ao invés de cortar os cachos de uva, o visitante vai podar as parreiras.

A Colheita ou Poda Experience é uma experiência de dia inteiro e custa R$ 390 por pessoa ou R$ 750 para um casal. Ela inclui também a degustação às cegas da cave e um almoço harmonizado no Clô Restaurante.

3- Degustação às cegas

Ainda na Luiz Argenta, você pode fazer uma degustação clássica, mas também pode aproveitar a Cave Experience. Nessa modalidade, você prova os vinhos dentro da cave subterrânea onde eles envelhecem. O lugar é absurdamente lindo e tudo acontece ao som de Tom Jobim, porque os vinhos envelhecem “ouvindo” bossa nova, como uma técnica para melhorar a qualidade.

Degustação as cegas Luiz Argenta

Todos vendados (ou colocando a venda) para a degustação começar!

Lá você é vendado e experimenta quatro rótulos da casa. Guiado por um enólogo, o grupo tenta descobrir quais suas composições e depois tira a venda para ver o vinho provado. O visitante ainda leva de lembrança da visita o lenço e a taça usados na degustação. Uma experiência sensacional!

Diferente da colheita e da poda, a Cave Experience acontece o ano inteiro. Ela dura cerca de 2h e custa R$ 130.

Leia também: Vinícolas do Vale dos Vinhedos: tudo sobre a rota uva e vinho

4- Piquenique nos vinhedos (Peterlongo)

Sentar na grama ao lado de parreirais para fazer um piquenique parece coisa de filme né? Mas esse é mais um sonho que pode se tornar realidade. Durante o período da Vindima (já percebeu que essa é a melhor época para visitar a Serra Gaúcha, né?), a vinícola Peterlongo organiza o “Tour da Vindima”. Nele, além da visita tradicional que inclui o museu, os tanques e a cave subterrânea, você pode ainda fazer um piquenique nos jardins do castelo (pois é, a sede da Peterlongo é um castelo). No Tour da Vindima é possível ainda fazer a colheita das uvas.

Cada participante recebe uma cesta com tesoura, taça, frios, geléia, torradinhas e um espumante ou suco. O valor é R$ 110 para duas pessoas e é possível fazer o tour de hora em hora, das 9h às 16h.

5- Wine Movie (Peterlongo)

Ao longo de boa parte do ano, em um sábado por mês a vinícola Peterlongo vira palco de um delicioso cinema ao ar livre. Uma enorme tela é montada bem em frente aos vinhedos e o público de turistas e moradores da região se aconchegam em algumas cadeiras e puffs para assistir um filme.

Wine Movie Peterlongo

Olha que lugar mais gostoso entre os vinhedos, para ver um filminho!

O ingresso para o Wine Movie (R$ 40 antecipado ou R$ 50 na hora) dá direito a pipoca e a uma taça personalizada. Quem quiser uma refeição mais completa pode também optar por comer um em algum dos food trucks que são montados ali. E há, claro, alguns rótulos da casa para acompanhar.

Leia também: Melhores hotéis na Serra Gaúcha: Vale dos Vinhedos e Arredores

6- Vinhedo do Mundo (Dal Pizzol)

O vinhedo do mundo não envolve nenhuma atividade super diferente, mas é definitivamente algo fora do comum. Trata-se da maior coleção de uvas a nível privado da América, com exemplares do mundo todo, como o nome indica.

Quando fomos, tivemos a oportunidade de participar de uma colheita simbólica. Eu fui escolhida para colher uma uva do Afeganistão e a Marcella do Japão! Foram as mais diferentes da turma.

Vinhedos do Mundo

Diferentes tipos de uvas do mundo todo, colhidas na Dal Pizzol.

Quem visita a Dal Pizzol em situações normais infelizmente não pode fazer a colheita, mas pode visitar esse vinhedo e conhecer os diferentes tipos da fruta.

O Vinhedo do Mundo funciona de segunda à sexta das 9h às 17h e aos sábados, domingos e feriados das 10h às 16h30. A entrada custa R$ 20 por pessoa.

7- Passeio de bicicleta

Esse passeio infelizmente nós não conseguimos fazer. Estava programado para acontecer no nosso primeiro dia de viagem, mas foi cancelado por conta do tempo chuvoso e infelizmente não tivemos tempo de ir em nenhum dos outros dias. De qualquer forma, adoramos a ideia de um passeio de bicicleta no meio dos vinhedos, que parece ser super agradável, e deixamos aqui a dica para quem quiser testar.

O “Que Tal de Bike?” é um projeto da rede de hotéis Dall’Onder, mas que não se restringe apenas aos hóspedes. Acompanhado de um guia, você pode percorrer de bicicleta diferentes trajetos, com níveis variados e passando por lugares diversos da região. Também é possível montar rotas personalizadas. A ideia é ter um outro ponto de vista dessa área, que geralmente é explorada de carro. E aí, animou?

8- Union Distillery

E nem só de vinho vive a Serra Gaúcha! Pois é, bem aqui no sul do Brasil você pode visitar também uma destilaria de whisky: a Union Distillery. Esse passeio é perfeito para dar uma variada nos sabores, dar uma boa aquecida ou agradar aquela pessoa do grupo que não é tão chegada em vinhos, mas topou a viagem mesmo assim.

A Union Distillery fica em um lugar que um dia já foi uma vinícola, como a maior parte das propriedades ao redor. Mas em 1971, a família do atual dono comprou o local e a transformou em algo bem diferente. Depois de mais de 30 anos vendendo o produto que é produzido ali apenas para engarrafadores, em a Union Distillery voltou a vender seus whiskys direto para o consumidor final e em julho daquele ano começaram as visitas e degustações no local.

Whisky brasileiro sul

Nem só de vinho é que se vive a Serra Gaúcha!

Além de provar quatro tipos de whisky (lembre-se de forrar o estômago antes de ir), o visitante também conhece um pequeno museu com a história do lugar e acompanha a fabricação da bebida. Uma novidade para quem está cansado de ouvir sobre a fermentação dos vinhos.

A visitação à Union Distillery custa R$ e pode ser feita de segunda à sábado, das 14h30 às 16h30 no primeiro dia, e das 9h30 às 16h30 nos outros.

9- Garibaldi Vintage

O Garibaldi Vintage é um evento que não acontece dentro das vinícolas, mas como tudo na região, acaba se conectando também com a vitivinicultura. Trata-se de uma noite especial que envolve toda a população local, que se diverte como se vivêssemos em outra época.

A festa a céu aberto se caracteriza principalmente pelo encontro de carros antigos e pelo público que se veste a caráter. Além disso, é uma noite para degustar a gastronomia local, os espumantes e as cervejas artesanais.

O Garibaldi Vintage acontece todos os anos nos meses de março e novembro.

Quando estivemos na Serra Gaúcha, em janeiro, não era época do Garibaldi Vintage. Mas fiquei morrendo de curiosidade para conhecer essa festa, porque o centrinho da cidade já é super fofo nos dias normais.

10- Cervejaria Leopoldina

Outra opção para quem quer dar uma variada nos sabores durante a viagem à Serra Gaúcha é a Cervejaria Leopoldina. Como a Union Distillery, o passeio é praticamente uma novidade para os visitantes da Serra Gaúcha, porque a cervejaria foi inaurgurada apenas em 2016, um grande contraste com tantas vinícolas históricas. Apesar de novinha, a Cervejaria Leopoldina já exporta alguns rótulos e também já foi premiada.

Cerveja artesanal brasileira leopoldina

Variedade é o que não falta na cervejaria Leopoldina.

Lá, a visita é curtinha e bem diferente do resto dos passeios da região. Durante a visitação, é possível acompanhar o processo de fabricação de 14 tipos de cervejas e chopps e encerrar o tour com uma degustação deliciosa.

A visita de cerca de 1 hora custa R$ 30 por pessoa e precisa ser agendada. Ela pode acontecer de segunda à sábado, das 9h às 17h.

Leia também: Cidades da Serra Gaúcha: conheça as principais da região


Você já sabia que esse tipo de experiência era possível em uma região vinícola? Conta pra gente o que achou!

Se você quiser saber mais sobre o que fazer na Serra Gaúcha, não deixe de conferir todo o conteúdo que produzimos sobre a viagem aqui no blog e lá no Instagram. E claro, se tiver alguma dúvida é só deixar aqui nos comentários.

Vai viajar?
É preciso planejar!

Planeje sua viagem utilizando os serviços dos parceiros abaixo. Você não paga nada a mais
por isso, e ajuda o SV a continuar produzindo conteúdo de qualidade e gratuito. =)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curadoria de viagem

Receba uma vez por mês em seu e-mail nossas dicas cuidadosamente selecionadas e as novidades do mundo das viagens.