Milos, Grécia: tudo o que você precisa saber

Milos foi uma das ilhas mais surpreendentes que visitamos na Grécia. Uma incrível combinação de praias maravilhosas e com visuais bem diferentes; com restaurantes muito bons e baratos; pessoas extremamente simpáticas e vilarejos branquinhos e fofos, daqueles que habitam nosso imaginário sobre a Grécia. Mas, por incrível que pareça, ela ainda é pouco explorada pelos turistas brasileiros que se limitam a ir apenas para Santorini e Mykonos.

Praia de Tsigrado, em Milos, vista de cima. Mar super azul com formações rochosas claras e um barco no meio.

Olha só o que você poderia perder deixando Milos de lado?

Para tentar mudar essa realidade, preparamos ums série de posts sobre a ilha com o objetivo de incitar a sua vontade de ir a Milos e ajudar no planejamento da viagem. Comecemos com as dicas práticas que você precisa saber antes de visitar Milos.

Milos: onde fica? E como se chega?

Milos fica nas ilhas cíclades, um grupo de ilhas gregas no mar Egeu.

O melhor tipo de transporte depende de onde da Grécia você está vindo. Se você vem de Atenas, minha sugestão é vir de avião. Nós pegamos um vôo da Olympic Air que sai de Atenas as 8:30 da manhã e chegava em Milos as 9:15. Um vôo curtinho e com vistas lindas de cima do avião.

Pequeno avião da Olympic air que faz o vôo Atenas - Milos.

Na sala de embarque, não vá pensando que o vôo está vazio. É que o avião é pequeno mesmo. =P

Se você está em outra ilha cíclade, o jeito mais prático é pegar um ferry. De Santorini são apenas 2 horas de ferry e de Folegrandos em torno de 45 minutos.

Milos: como se locomover? 

O jeito mais prático é alugar um quadriciclo, moto ou carro. Assim você consegue explorar mais praias em menos tempo, e tem liberdade para ficar quanto tempo quiser em cada uma delas. Eu recomendo fortemente. Mas, é possível conhecer diversas praias de transporte público, e combinar com o seu hotel transfers e até passeios.

Quadriciclo vermelho que alugamos em Milos.

Nosso possante envenenado.

Nós alugamos quadricíclo para os dois primeiros dias e no terceiro fizemos um passeio de barco para Kleftiko. Com ajuda do dono do nosso hotel, contratamos o transfer da própria empresa que fazia o passeio de barco por 7 euros por pessoa. Assim, não precisamos alugar quadri nesse último dia.

Milos: quando ir? 

A melhor época é durante o verão europeu para conseguir aproveitar as praias e entrar no mar. O período vai de junho a setembro, sendo ainda possível ir no final de maio ou começo de outubro. A altíssima temporada é no mês de agosto, quando tem sol praticamente todos os dias e a água está gostosa para nadar. Nós fomos em agosto.

Mergulho no mar em Kleftiko, Milos.

Você vai querer dar um mergulho, como esse que eu dei em Kleftiko.

Durante o inverno, assim como na maioria das ilhas cíclades, as cidades ficam vazias e o tempo é chuvoso. Por isso, prefira o verão europeu e vá com tudo.

Milos: quantos dias ficar? 

No mínimo 3 noites (ou pelo menos 3 dias inteiros) para conseguir aproveitar as principais atrações. Menos do que isso você vai sair com vontade de quero mais e com aquela sensação de que não conheceu direito o lugar, ou vai correr pra caramba.

Paisagens de tirar o fôlego a cada canto. Essa foi perto da estrada para Tsigrado. É necessário tempo para explorar e conseguir parar em cada canto.

Quatro dias seria o ideal para explorar com calma as atrações e cinco para explorar além da rota básica e começar a procurar pelos segredos de viagem da ilha.

Milos: onde ficar? 

Basicamente você tem 3 opções de vilarejos para ficar: Adamas, Pollonia e Plaka.

A cidade mais prática é Adamas, pois tem mais estrutura e oferta de hotéis, fica perto do aeroporto e é a cidade onde está o porto. Nós escolhemos ficar aqui pela praticidade na hora de ir embora de ferry e por termos adorado o nosso hotel, o The White Suites (recomendamos fortemente).

O charme do porto de Adamas e as casinhas brancas ao fundo.

Pollonia é um vilarejo charmoso, que eu indicaria para quem tem mais de 5 noites na ilha, já que fica mais afastado dos principais pontos de interesse de Milos.

Plaka é um lugar que você vai visitar, estando hospedado lá ou não, pois é o vilarejo no ponto mais alto da cidade, é de onde se vê um belíssimo pôr do sol e onde tem mais casinhas branquinhas entre pequenas ruas (daquele jeito grego que nós tanto gostamos).  Pode ser interessante se você pegar um hotel com vista para o lado do mar e do pôr do sol, e se você não se importar com o difícil acesso em alguns pontos da cidade onde as ruas são abertas apenas para pedestres.

A noite pelas ruazinhas de Plaka.

Milos: preços médios de uma viagem

Quarto de hotel: 140 euros/diária para um hotel super confortável, limpo e bem organizado, o The White Suites.
Quadricíclo: 60 euros a diária.
Moto: 30 euros a diária.
Gasolina: 15 euros para encher o tanque vazio de um quadricíclo.
Refeição: média de 35 euros para o casal em ótimos restaurantes e média de 20 euros em cafés ou para comer lanches rápidos.
Preço do ferry Milos-Santorini: 52 euros.
Preço do vôo Atenas-Milos: 90 euros.
Passeio de barco para Kleftiko: 27 a 60 euros por pessoa, dependendo do trajeto do barco e exclusividade do passeio.

Milos: o que você não pode perder

Resumidamente, o que é imperdível em Milos:

-Não deixe de visitar as praias de Sarakiniko, Tsigrado, Papafragas, Alogomandra, Firiplaka e Firopotamos.
-Faça um passeio de barco até Kleftiko (acessível apenas pelo mar).
-Veja o pôr do sol em Plaka, na igrejinha, no castelo ou no Utopia Caffe enquanto come e bebe algo.

O visual totalmente excêntrico da praia de Sarakiniko, que lembra a superfície da lua (dizem né? eu nunca fui…rs).

-Tome uma cervejinha com aperitivos gregos na praia de Mandrakia, no restaurante Medousa, ou prove uma comida preparada com o calor vulcânico no restaurante Sirocco praia de Paliochori.
-Não deixe de ir ao restaurante Erginas em Tripiti, e ao Enalion, Armenáki ou Gialos em Pollonia.

Ainda tem dúvidas? 

A caixa de comentários está aberta para trocarmos experiência, tirarmos dúvidas (como pudermos) e para continuarmos a nossa conversa. Pode comentar! =)

Deixe o seu comentário usando o Facebook
  1. Fabio pastorello  25/08/2017 | 19:26

    Gente, preciso da Grécia no ano que vem. E Milos com certeza vai entrar no roteiro, já favoritei seu post aqui. O Cleber (o meu rs) queria ir esse ano, mas não rolou. Beijos.

    • Marcella  28/08/2017 | 06:25

      Fabio, Milos foi a grande surpresa mesmo!
      hahah Fala pro seu Cleber que eu super apoio essa viagem de volta pra Grécia! <3
      Beijos

Ou comente por aqui