4 destinos diferentes e pouco explorados para conhecer no Japão


Atualizado em:


Eu senti na pele: viajar para o Japão é como se transportar para um país completamente diferente do Brasil, em texturas, sabores, aromas, cultura, comportamento e visuais. Por isso mesmo que essa viagem é uma aventura única e conhecer o país é desejo de muitos turistas brasileiros e de todo o mundo.

Algumas cidades do Japão são imperdíveis na minha opinião, como Tóquio e Quioto. Outras me surpreenderam muito positivamente, como Kanazawa e Hiroshima. Mas, além dos destinos mais comuns, há alguns segredos que merecem sua atenção e tem um enorme potencial turístico.

Ao pesquisar sobre o destino para planejar a viagem, me deparei com tantos lugares incríveis e menos famosos, que foi um sacrifício ter que escolher apenas algumas entre as inúmeras opções. No roteiro final, incluímos cidades mais turísticas e conhecidas, mas também visitamos destinos menos comuns e não nos arrependemos! Adoramos a experiência.

Veja todas as dicas do Japão que já escrevemos

Nesse post, cito 3 desses destinos menos óbvios no Japão que eu visitei pessoalmente. Além disso, como não consegui conhecer o país todo, pedi uma dica extra de destino “segredinho” para a Mami Fumioka, vice-presidente da Quickly Travel que é uma agência de viagem especializada em Japão. Confira!

-Naoshima

Giant Pumpkin Yayoi Kusama Naoshima
Criança feliz em Naoshima!

Não canso de dizer que Naoshima foi um dos meus destinos queridinhos da viagem, e um dos que eu estava mais ansiosa para conhecer. O motivo? Essa é uma ilha inteira dedicada a artes, com projetos arquitetônicos de tirar o fôlego do arquiteto Tadao Ando, obras e duas abóboras gigantes de Yayoi Kusama espalhadas por lá, instalações artísticas em antigas casas do vilarejo, e muitos museus é claro.

Outro motivo de minha ansiedade para conhecer Naoshima era o Hotel Benesse House, que fica literalmente dentro do complexo de museus e são obras de arte por si só. Contei tudo sobre minha esperiência em Naoshima e no hotel aqui.

Quem fica mais tempo também consegue conhecer as ilhas vizinhas de Teshima e Inujima, e incluir mais dois destinos artísticos e inusitados na lista.

-Taketomi

taketomi japão
Mesmo nublado, a cor do mar de Taketomi era incrível

Essa foi uma aposta no nosso roteiro. Queríamos muito conhecer alguma das ilhas paradisíacas do Japão que ficam no arquipélago de Okinawa. O destino mais famoso é a ilha de mesmo nome, chamada Okinawa. Mas como esse blog se chama Segredos de Viagem, ousamos e fomos para Taketomi, a ilha mais ao sul de todas (mais próxima de Taipei em Taiwan do que de Tóquio!). =P

Essa é uma ilha super remota que mantém seus paraísos e tradições intocadas. É visitada mais por turistas japoneses e alguns poucos estrangeiros que decidem se aventurar por lá, como nós. Estávamos em lua de mel, então também escolhemos a ilha por causa do hotel, o Hoshinoya Taketomi.

Como choveu durante metade de nossa estadia, aproveitamos para descansar no hotel depois do batidão das cidades que tínhamos visitado. Também demos um mergulho na lindíssima praia de Kondoi com águas bem transparentes, vimos o pôr do sol do Nishi Pier, fizemos churrasco japonês no nosso bangalô e visitamos Ishigaki, ilha próxima de Taketomi e por onde chegam os voos.

-Takayama

takayama

Bem, Takayama não é bem um super segredo e inclusive alguns brasileiros já a incluem no roteiro. Mas de todo modo acho que vale o reforço para você se encantar com a pequena cidade tradicional e bem preservada entre as montanhas da província de Gifu.

As casas de madeira ajudam a vivenciar a cultura japonesa e o período Edo, estão super bem preservadas e abertas a visitação. Aproveite para visitar as destilarias de sakês por lá e também comer a carne Hida, super macia. Além de todas essas atrações, Takayama é a cidade com um dos maiores festivais do país, o Takayama Matsuri, que marca a chegada da primavera e do outono japonês, com a florada das cerejeiras ou com folhas em tons avermelhados. Duas paisagens e épocas encantadoras pra se presenciar.

-Monte Koya

Monjes japoneses no inverno de Koyasan

Essa foi a dica da Mami Fumioka para quem está em busca de paz de espírito e boas energias. A dica é visitar Koyasan (Monte Koya), em Wakayama, um dos lugares mais sagrados para o budismo japonês.

O Monte Koya está situado em um charmoso vale, a mais de 800 metros de altitude e próximo de Osaka. É um lugar sem igual, repleto de santuários sagrados, templos belíssimos e rotas de peregrinação para todos aqueles que buscam se purificar de alguma forma com as energias positivas que o lugar emana.

O destino também reserva uma singular experiência para os viajantes: a possibilidade de se hospedar em um dos mais de 50 templos (shukubos) espalhados pela montanha para observar a rotina dos monges que por lá habitam. A gastronomia, predominantemente vegetariana e os ritos de orações podem te surpreender.

Vai viajar?
É preciso planejar!

Planeje sua viagem utilizando os serviços dos parceiros abaixo. Você não paga nada a mais por isso, e ajuda o SV a continuar produzindo conteúdo de qualidade e gratuito. =)

Curadoria de viagem

Receba uma vez por mês em seu e-mail nossas dicas cuidadosamente selecionadas e as novidades do mundo das viagens.

Deixe seu comentário

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

EnglishPortuguese